Ponto de vista: Porque eu quero comprar a Ténéré 250

Você já tentou entender porque gosta mais de uma motocicleta do que outra considerada melhor por praticamente todo mundo? Após publicar aqui no blog minha opinião sobre a Honda Bros, explicando porque eu não tenho interesse em comprar essa motocicleta, resolvi escrever sobre uma motocicleta que tenho a pretensão de comprar, quando tiver condições para isso. Essa motocicleta atualmente (pois o mercado sempre muda) é a XTZ 250 Ténéré da Yamaha.

xtz250tenereazul2012Yamaha XTZ 250 Ténéré

Mesmo antes de obter a habilitação e ter a minha primeira motocicleta, eu já tinha uma forte admiração pela poderosa Honda NX 350 Sahara, devido ao seu estilo que para mim remete as motos que se aventuram no Rally Dakar, estilo que me agrada muito. Porém, como muitos sabem, essa é uma motocicleta que está fora de linha desde 1999, após 10 anos sendo produzida, o que complica muito para quem deseja usar ela diariamente, como é o meu caso. Dor de cabeça com a moto parada por precisar de trocar uma peça danificada e não encontrar está fora dos meus planos. Por isso a Sahara, apesar de muito bonita, é uma opção descartada para mim.

saharaHonda NX 350 Sahara

Com a Sahara descartada, comecei a pesquisar mais, e conhecer outros modelos que me agradassem, e gostei muito mesmo da XTZ 250 Lander da Yamaha. Nessa época eu já era habilitado e já tinha minha Titan 125, e um dia conversando coincidentemente com a mesma pessoa que me vendeu minha moto, ele estava com uma Lander, e eu curioso, pedi para dar uma volta para conhecer a motocicleta, me lembro que ele disse para eu dar uma volta no quarteirão, eu dei a volta praticamente nos 4 bairros ao redor de onde estava…Nesse momento tinha simplesmente virado fã dessa motocicleta, pela agilidade, facilidade de manobras, pela aparência robusta, e pela tecnologia aplicada com a injeção eletrônica, diferente da Tornado, ainda carburada, que eu tinha um “pequeno romance”. Nesse momento tinha encontrado minha próxima motocicleta.

LanderYamaha XTZ 250 Lander

Só que o tempo foi passando e nada de eu ter condições para comprar essa moto (assim como grande parte dos brasileiros), e no final de 2009 comprei uma Honda Titan 150 pois a Titan 125 já não atendia minhas necessidades de mobilidade, e eu não tinha como pagar a desejada Lander, que era o dobro do valor que paguei na Titan, escolha que não me arrependo, pois ela provou ser uma excelente motocicleta, apesar de não ser o que gostaria de ter naquele momento…

IMG_0126

Como as montadoras de motocicleta estão sempre com lançamentos, para brigar pelo mercado que não para de crescer no Brasil, a Yamaha lançou a XTZ 250 Ténéré em uma tentativa de bater de frente com a Honda XRE 300, que pelas propriedades mais “on” do que “off”road deixou a marca do diapasão sem um produto equivalente, já que a Lander era mais off road do que estradeira. A Ténéré usa praticamente tudo da irmã Lander, então este é mais um motivo de confiança para o futuro comprador, pois modelos novos de motocicletas costumam apresentar algum problema de projeto, e então são abertos os chamados de recall para corrigir essas avarias.

O motor por exemplo, o mesmo que equipa a YS 250 Fazer, XTZ 250 Lander e a extinta motard XTZ 250 X, é o mesmo desde o lançamento da YS 250 Fazer em 2005, teve minimas mudanças nesse tempo e apenas em 2009, na adequação aos limites de emissão do PROMOT 3, a injeção eletrônica sofreu melhorias maiores, como a adição do sensor de oxigênio, passando a funcionar em malha fechada. A mídia especializada avaliou a moto e em comparativos com a XRE 300, afirmou que a XRE é superior a Ténéré. Mas eu andei com a XRE e não gostei, então me diz mídia especializada, o que eu faço?Sobre o questionamento da traseira, considerada “feia”, não vi problema nenhum, porque quando estou pilotando a moto, estou vendo apenas o belo tanque e o painel digital, que é a “cereja do bolo”. Eu apenas montaria uma lanterna do freio com leds para ela e já estaria boa demais essa traseira!

ténéré250Eu pilotando uma Ténéré 250 preta

Observações pessoais sobre a XTZ 250 Ténéré

Posição de pilotagem

Eu tenho 1,85m de altura, e para mim, a posição do piloto na Ténéré passa uma sensação de ter “vestido” a moto ao montar nela, tamanho o conforto na pilotagem.

Agilidade

Mesmo sendo considerada por alguns a “mais fraca” da categoria 250cc, oferece boa agilidade para condução na cidade e em pequenas viagens, como aquele bate volta no fim de semana. Apesar do tamanho da frente da moto, não tive problemas para dominar a moto no trânsito paulista. Eu aprovei.

Dica para melhorar a pilotagem

Para melhorar ainda mais a pilotagem e garantir mais segurança, ajuste a suspensão traseira o mais rígida possível e troque o pneu dianteiro original pelo modelo Michellin Sirac 90/90 21, ou o modelo que equipava a extinta Honda Tornado e que equipa a XRE 300, o Metzeler Enduro 3 Sahara 90/90. Isso vai melhorar a estabilidade da moto na estrada, pois com o ajuste original, ela fica relativamente instável em altas velocidades e incomoda…

Conforto para o piloto

Além da boa posição de pilotagem, gostei muito da frente da moto, que remete a famosa Honda Sahara, que também possui uma bolha, que faz com que o vento, não atinja o peito do piloto, o que causa cansaço em viagens. Mesmo na estrada, achei muito bom esse recurso!

Dica para os pilotos mais altos

Para pilotos mais altos, pode ocorrer de ter o vento que é desviado pela bolha ser “jogado” no capacete ( a bolha deve jogar o vento sobre o piloto) gerando turbulência e incomodo, principalmente em altas velocidades. Para resolver isso, basta trocar a bolha por um modelo maior, já disponível no mercado de reposição.

O que eu não gostei na Ténéré 250cc?

-O câmbio é duro e tive dificuldade para engatar a primeira marcha muitas vezes.

-O sensor híbrido utilizado, apesar de usar uma tecnologia mais atual, adotando um sensor de posição da borboleta tipo Hall, que garante maior durabilidade, não pode ser vendido separado, como é no caso de XRE 300. Se você tiver problema de funcionamento em um dos 3 sensores que integram o Hibrido, terá que trocar o corpo de aceleração completo, que custa em torno de R$ 1300,00.

-O freio é um pouco “borrachudo”, problema que veio de herança da irmã Lander. Trocando os flexíveis do freio original pelo modelo com malha de aço resolverá essa deficiência.

Para você, que está pesquisando uma motocicleta para comprar, espero que este texto tenha utilidade e seja ajuda para uma escolha correta, pois a motocicleta deve trazer apenas alegrias ao seu dono! Deixe sua opinião também.

Namastê

Outros posts sobre a Ténéré 250:
Ténéré no dinamômetro.
Com a Ténéré na terra.

About these ads

283 Respostas para “Ponto de vista: Porque eu quero comprar a Ténéré 250

  1. Olá Marcelo, como se diz gosto é gosto, mas se me permite minha opinião, está é a moto mais feia que já vi. Sou apaixonado pela Lander X, mas a Yamaha fez besteira em lançar esta moto e não efetuar pequenas modificações estéticas na Lander, tenho saudade da velha Tornado e da Lander X, estas eram motos de verdade.

    • Exatamente meu amigo, como eu disse no inicio, essa é a minha opinião, e como eu falei antes sobre uma moto que não quero comprar (Bros) resolvi falar agora sobre uma moto que quero comprar. Fique a vontade para opinar sempre! =D

      Também acho a Lander X( o nome correto é XTZ 250 X) uma baita moto, mas para minha necessidade,pois como não tenho carro uso a moto para tudo,e os aros menores não colaboram muito, e a Yamaha fez a Ténéré e não fez as modificações na Lander como você disse porque, como foi dito no texto, a XRE não substitui a Tornado,concorrente direta da Lander, pois tem proposta diferente, então a Ténéré foi lançada para concorrer com a XRE. E como a Yamaha sabia que a Honda logo iria lançar uma substituta para a Tornado( a CRF 250L está chegando e vai dar dor de cabeça para a Yamaha) a Lander não saiu de linha.

      Grande Abraço e espero que participe sempre com sua opinião!

      • BOM AQUI VAI MEU COMENTARIO PARA OS FÃNS DA XTZ 250 X, MOTO ANDA BEM NA ESTARDA É BONITA, MAIS UMA PORCARIA PARA O DIA A DIA, BATE SECO MUITO DURA,SINCERAMENTE,NÃO VALE A PENA COMPRAR UMA DESSAS TENHO CERTESA QUE SAIU DE LINHA TÃO RAPIDO ASSIM DEVIDO A NÃO SER UMA BOA MOTO! TA AI MEU COMENTARIO XTZ 250 X SAIA DESSA!

        • Cara,em primeiro lugar aprende a escrever,depois vc comenta
          eu tenho uma ténéré 250 ela é show muito confortável nos dois písos e segura …. vlw

          • Olá Franciso, esse comentário infeliz do leitor Ruan é da época que eu não moderava, então passou direto. Primeiro, o post fala da Ténéré e ele estava comentando sobre a motard, a XTZ250X… Segundo, que ele não sabe o que está falando sobre a “X”, que era uma moto muito divertida, eu pilotei e o que ela precisava apenas era a mesma atualização estética da Lander.

            Abraço e agradeço pela sua participação.

          • Olá Francisco, tudo bem?

            Sobre o comentário do leitor Ruan, esse “passou direto” pois é da época que eu não moderava os comentários. Ele foi infeliz no que disse, pois primeiro, a XTZ 250X não é a Ténéré (se essa era a intenção dele, de falar mal da ténéré) e o que ele disse sobre a “x” também não confere,pois já pilotei essa moto, e a única coisa que precisava era de um facelift, assim como a Lander. Era uma moto muito divertida.

            Abraço e agradeço pela sua participação.

      • olá Marcelo, gostei muito da sua história, tive uma sahara era show mas as novidades chegam né,me mudei para familia yamaha com a pequininha xtz125 , logo passei a xtz250 e agora a duvida , gostaria de saber se resolveram o desconforto da lander na tenere pois a minha era dura pacas ,tive de venfer por ordem da patroa kkk e agora podes me falar se a tenere foi melhorada em termos de conforto. valeu,
        ps~ não gostaria de abandonar a familia yamaha , mas sem conforto não dá.

        • Se sua garupa for pesada, ela vai reclamar do banco, pois a espuma abaixa, mas em relação a Lander já é muito melhor, pois o assento é em 2 níveis. Talvez um banco “Erê” (marca que faz bancos mais confortáveis para várias motos) resolva. Se ela for mais leve, vai adorar.

          Creio que a principal diferença entre Lander e Ténéré seja exatamente essa. A Ténéré é mais confortável, e apta para asfalto, e a Lander é menos confortável para 2, mas é adequada para uso na terra.

          Abraço

  2. Willian,,, Concordo contigo com relação a estética da moto… Mas sou obrigado a ressaltar um ponto que me fascinou nessa moto… A posição de pilotagem… O banco é muito confortável…

    • Olá Kleber, bem vindo ao blog!

      Realmente acertaram nesse banco, principalmente para fazer viagens e com garupa,aliás, existe no mercado de reposição um banco parecido com o da Ténéré com 2 níveis para a Lander.

      Abraço!

      • É senhores, concordo com vocês que a moto é muito confortável, hoje a unica que se compara ou supera em conforto é a Transalp da Honda mas como é outro nível de moto não se compara, a XRE tem um conforto relativamente baixo comparado com a Ténéré, mas como começamos o assunto gosto é gosto, eu pessoalmente não alinho apenas o conforto, tem que ter um casamento entre o conforto e beleza, pois de que adianta você esta em uma moto bonita se você não consegue ficar nem 1 hora nela e de que adianta se você tem uma moto confortável se você tem que esconder na garagem para os amigos não te zuar, mas como diz o meu coroa, quem ama o feio, bonito lhe parece, e nunca falta um pé cansado para um par de chinelos velhos. kkkkkkkkkkk. Isto deve ser de 1900 e antigamente. kkkkkkkk, mas o coroa sabe das coisas. Mas para não discordar de vocês entre a XRE e a Ténéré, o conjunto da Ténéré é melhor mesmo, menos o motor que para mim a potência faz diferênça.

        • É Willian, com certeza seu coroa sabe das coisas, hehehe.E no primeiro paragrafo do texto, eu quis deixar isso claro, deixando claro que todo mundo prefere a XRE, mas eu prefiro a Ténéré, afinal, gosto cada um tem o seu né! =D

          Sobre o motor da XRE, existem alguns detalhes nele que me afastaram dessa moto também, pois em pesquisas, além de saber que a bomba de combustível é externa, o que acho um erro, vi que o motor da XRE/CB 300 é praticamente o motor 250cc que equipava Tornado/Twister, apenas com injeção eletrônica e cilindro aumentado. Resumindo, ele vem com os mesmos defeitos que tinha o motor antigo. Vazamento de óleo na junta do cabeçote, barulho da corrente de comando…por isso não gostei desse motor, mesmo sendo mais forte que o da Ténéré. Aliás, aumentaram para 300cc justamente para compensar a perda de força que a injeção eletrônica causa em um motor que era carburado, e agora é injetado. Como sabem que o cliente reclama de tudo, e com razão, afinal pagou para ter o melhor, aumentaram o tamanho do cilindro para ninguém reclamar que é uma moto fraca.Pelo jeito o pensamento deu certo!

          Abraço e agradeço pela sua participação!

    • xre é um lixo twister de bosta moto de mototboy afffffffffffff saia seu puxa sacos da Honda, aqui no brasil é assim a honda é melhor a honda é isso é aquilo para analiza,ande nas motos mil vezes a lander a tenere que 30o cilindradas oque, realmente aumentarão, e por isso o motor da moto ficou mais vulneravel ,menos resistente , mesma coisa que tunar um veiculo a durabilidade sera menor!
      mudando de assunto parabéns pelos topicos!

  3. Fala, meu brother!!! Cara, eu vejo os updates do seu blog toda vez que vc posta algo novo, mas hoje tive que opinar, pois já faz um tempo que gostaria de dizer … MEUS PARABÉNS pelo nível de detalhe e a atenção às minúcias da pilotagem e dos parênteses técnicos das motos que você avalia!! Vc tem talento, cara… parabéns por cultivar isso e divulgar boas informaçoes aos nossos irmãos de asfalto hehehe abraço!!!!!

    • Olá Mauricio, bem vindo ao blog!

      Fico feliz com seu comentário, pois os textos são fruto de um processo muito trabalhoso, mas ao mesmo tempo muito bom, porque estou falando de motos, algo que cada dia me apaixono mais, e saber que estão agradando o leitor pela qualidade das informações é um grande motivador para que eu continue com esse trabalho, como você disse, ajudando o pessoal que curte motocicletas e que tem muitas duvidas ainda.

      Baita abraço e agradeço pela sua participação!

  4. A mídia especializada coloca a XRE como superior. Eu acho absurdo. Pode haver jogo de interesse por trás disso. Tinha um consórcio da XRE, mas fui acompanhando nos fóruns, e os problemas mecânicos diversos me desanimaram. Quando saiu a Teneré, dei lance e peguei minha moto.

    Questão visual, gosto é gosto. Mas a Tenére, possui um visual mais limpo. Painel e bocal do tanque mais modernos, tanque maior, farol duplo tanque com capacidade maior.

    O que é indiscutivel, é a confiabilidade desse motorzinho. Dizem que passa se 100.000km sem problemas se for bem cuidado. Já o da Honda…

    Fiquei decepcionado com o banco. Muito duro, péssimo para viagens longas. Logo troquei por um Erê, que se mostrou bem mais confortável. Uma decepção também as rodas de aço. Podiam caprichar um pouco mais colocando aros de inox e rodas de aluminio. Mas infelizmente o padrão do nosso mercado é esse. Baixa qualidade. Troquei aros e rodas por minha conta.

    Depois de 1 ano e 11000km rodados, só tenho uma reclamação. A assistencia da Yamaha em Vila Velha ES é lamentável e nada confiavel. Assim que acabou a garantia levei minha preta na minha oficina de confiança para uma merecida revisão. Valeu cada centavo.

    Faço Uso diário da Minha teneré. Muito confortavel e tem um bom consumo. Considero a melhor opção para moto de uso diário.

    • Boa noite Halysson, bem vindo ao blog!

      Concordo com tudo que disse, inclusive sobre o jogo de interesse, mas isso pode ser simplesmente falta de conhecimento técnico sobre motocicletas, afinal, não se aprende isso em jornalismo. Só não conheço esse banco “Erê”, vou pesquisar para saber mais sobre esse banco. Como não fiz nenhuma viagem com a Ténéré, não tenho como avaliar com tanto critério como um proprietário da moto.Por isso sua opinião é muito importante!

      Baita abraço e agradeço pela tua participação!

      • Cara, eu só tenho a concordar com o colega Halysson, como vc mesmo conhece esta moto, só me deu alegria até hoje!!! confesso que quando comprei a moto foi mais por influência sua, mas também pelos dados de consumo que sempre via as materias de testes dela em revistas especializadas, porem depois de andar com ela no dia a dia, me apaixono cada vez mais por esta moto!!!

    • Halysson , estou justamente em duvida na moto pelo conforto pois minha lander era dura pra …. a moto é confortavel ou não é dura feito a lander , socorro.kkkk,

      • Olá Jorge, eu já respondi no seu outro comentário, mas vou responder aqui também.

        Em relação a Lander, a moto é bem melhor em conforto. Não tenha dúvida.

        Abraço

  5. Olá Marcelo, estou te incomodando novamente. KKKKKKKKKK, estava pesquisando na net e observei que tem uma galera fazendo algumas modificações em motos, exemplo a CB300, eles estão pegando o motor e pintando de preto, sei que a cor prata do motor é melhor condutora de temperatura para arrefecimento e o preto absorve bem a temperatura, e outra pergunta é a respeito das carenagens que eles estão colocando em motos refrigeradas a ar, o que pode interferir mesmo que seja apenas aquelas carenagens que pega na parte de baixo do motor?
    Sei que este assunto não se refere a este tópico, mas desculpe-me, estou te perguntando pois sei que você é o “cara” dos motores.
    Abraços

    • William, não se preocupe, pode perguntar a vontade, porque assim eu aprendo também!

      Sobre pintar o motor, é importante citar que a cor cinza do cilindro do motor não é pintada, e sim a cor do material. Quanto mais tinta aplicar sobre o material, menos irá ter o motor arrefecido pelo contato do ar com o cilindro, resultado, o motor esquenta mais, e desgasta mais o óleo…essa diferença não é tão fácil de se notar, por isso você vê bastante gente fazendo…eu não faria isso jamais!

      Existem motores que saem de fábrica na cor preta, e SE a engenharia trabalhou corretamente, foi acertado o arrefecimento do motor levando em consideração a tinta aplicada sobre o cilindro na fabricação.

      Sobre as carenagens, não tem como provar os benefícios de instalar ela na moto sem uma análise técnica apurada, avaliando a temperatura do motor com e sem a peça, e uma avaliação de desempenho da moto com e sem a peça para saber se existe um ganho gerado por uma melhora na aerodinâmica na moto.Eu não acho legal colocar, as opções que já vi no mercado não são de qualidade. Acho que só serve para deixar a moto mais pesada, consequentemente menos potente… essa é minha opinião William…espero que ajude!

      Abraço!

      • Sim me ajudou Marcelo, a repeito das carenagens foi curiosidade pois achei que atrapalharia e muito a troca de calor, mas a parte de pintar o motor já vir na net uma CB300 com o motor pintado e gostei, mas também não faria pelo fato de ter medo de danificar a moto e a tinta não segurar soltando tinta, isto é muito comum em tintas de alta temperatura, de qualquer forma muito obrigado e to no Face curtindo também. Abraços

  6. Estou contigo, Marcelo: a melhor moto do mundo é aquela que mais nos agrada (e, melhor de tudo, podemos mudar de opinião logo ali adiante). Paixão não precisa de justificativa. Baita abraço!

    • Olá Grande Piréx,que alegria ver seu comentário por aqui! =D

      Não conta pra ninguém, mas a moto dos sonhos para mim é essa laranja, que você tem na garagem…hehehe, praticamente ” a melhor moto do muuuuuuuuuundo”!!!

      Baita abraço e estou acompanhando as novidades da sua motoca no teu blog….eita moto bonita viu!

  7. Olá Marcelo,
    Sempre visto seu blog e acompanho seus posts.
    Achei muito interessante sua matéria sobre a Lander e a Ténéré 250.
    Antes, eu tinha opção sobre a Ténéré, mas acho que uma simples queda com ela deve deixar estragos muito caros para se consertar se comparado com a Lander.
    Hoje, se eu fosse escolher, optaria pela Lander. Entretanto, fiquei preocupado com o sensor híbrido que você mencionou! Achei muito caro – por volta de 10% do valor da moto!
    Mas, acho que não tem como fugir disso. Moto carburada vai cair em desuso muito rápido.
    Tem como você fazer uma publicação ilustrada deste “problema” que você vê nos sensores da Lander, idem Ténéré?
    Abraços.

  8. A Ténéré 250 é realmente fantástica. Na minha opinião, é a 250 perfeita. Já andei em uma também, e mudou meu conceito. Antes eu achava que era apenas uma Lander com carenagens diferentes… Mas não tem nada a ver, é uma moto totalmente nova, e muito legal para uso urbano, viagens e terra.

  9. olha entre a fazer 250 e a tenéré 250 .qual e a melhor!!!!estou afim de comprar e não sei qual das 2.qual será que tem maior desempenho.pra mim a yamaha ta dando de 10 a 0 na honda.
    valew abraço

    • Olá caro Wagner,

      Pergunta difícil de responder, pois como eu disse no texto, o motor e a eletrônica embarcada são os mesmos. Eu vou de Ténéré porque tenho 1,85m e gosto de rodar bastante, com garupa e bagagem, e se possível, por umas estradinhas de terra ( sem exageros ). E o conforto que a Ténéré proporciona para mim é muito grande… Se você for muito alto, a posição de pilotagem da Fazer poderá incomodar um pouco, mas nada que vá te dar dores como uma comet gtr 250 carenada. Mas se você é um dos fãs de esportividade nas motos, com certeza a Fazer será sua próxima moto. Lembrando que peças em geral costumam ser mais em conta no modelo street do que nos modelos trail. Então tem mais esse ponto para você se atentar antes da escolha. Eu já andei na Fazer, o modelo antigo eu odiei a posição de pilotagem nela, mas o modelo novo eu curti bastante, é uma moto bem honesta! E eu também não gostei da CB300…

      Espero ter ajudado.

      Baita Abraço

  10. Olá Marcelo, bom dia! eu me chamo Fábio, moro em são paulo, na zona sul e também sou apaixonado pela Yamaha. No momento estou de Suzuki Yes, adoro a motoka, comprei zero e hoje está com 21.000 kilômetros e nunca me deu dor de cabeça. Antes eu tinha uma Lander 250 vermelha 2008 e adorava a moto, até cair com ela e como eu sou daqueles que dorme com a moto e a mulher na casinha do cachorro, perdi o Têsão por ela e vendi, comprando a Yes apenas para ir trabalhar. Ainda hoje eu choro pela falta da lander, mais não compraria outra, por dois motivos: minha mulher sempre reclamava do banco quadrado voltado para fora de estrada, e eu amargava quando saia sozinho, pois tenho 1.68 metros e tinha muita dificuldade em pôr o pé no chão, o que me dava a sensação de insegurança ao pilotá-la no dia à dia. Porém como falei anteriormente sempre fui apaixonado pela Yamaha, mais não queria a 125 da marca, optei pela Suzuki que era completa e pouco visada. Hoje estou me preparando para uma volta triunfante, e já fui ver de perto a Ténéré 250, fiquei babando, pois minha intenção era comprar a Fazer 250. Chamei o vendedor e perguntei: essa moto tem ajuste de altura, ou regulagem na mola?, pois se tiver é essa com vou comprar. O cara não me deu muita atenção e disse que não sabia, e nem a boa vontade de perguntar para um mecânico da loja ele teve, então agradeci e sai bufando. Estava pesquisando quando vi seu blog. Meu Brother diz ai? com minha altura consigo pilotar melhor essa moto que a Lander.
    Muito obrigado e Grande abraço

    • Olá Fábio, muito legal seu comentário!

      Vamos a minhas observações sobre o que comentou:

      Sobre o banco da Lander, eu também acho isso um ponto negativo quando se fala em levar garupa, mas na proposta dela é para ser assim mesmo.Mas tem solução, tem uma empresa que faz bancos visando mais conforto do piloto e garupa,eu já vi muita Lander com esse banco, veja nesse link: http://www.erebancos.com.br/imagens/yamaha/yamaha.htm

      Sobre sua altura, acho que a questão é mais se adaptar a moto, pois uma vez vi uma garota com uma lander azul, que deveria ter no máximo 1,60m de altura, e conduzia com maestria a moto, fiquei até admirado, pois mulher pilotando já é bonito, mas pequena e dominando a bela lander é lindo! =D

      Uma sugestão é ir atrás da Ténéré mesmo, pois ela é uma versão melhorada da Lander, se analisar alguns defeitos que a Lander possuia, sem contar o painel Horrivel!(acho isso hoje, pois antes de sair a Ténéré eu curtia!)

      Sugiro que procure a concessionária Familia Yamaha, pois eles vendem um modelo de ténéré adaptado para pessoas com baixa estatura chamado “x-confort”, eu confesso que não fui lá ver pessoalmente então veja se não é “gambiarra” antes de comprar ok? Veja o link deles: http://www.familiayamaha.com.br/home/

      Espero ter ajudado um pouco pelo menos. Depois deixe um comentário aqui dizendo o que decidiu fazer, combinado?

      Abraço!

  11. Caro Marcelo boa noite!
    Muito obrigado pela sua informação, confesso que não sabia desse tal x-confort, vou dar uma boa olhada assim que conseguir ir até uma concessionária, com relação ao comentário que você fez da altura da Téneré, eu tenho que concordar contigo, é preciso que eu tenha a moto em mãos para que consiga ter uma intimidade maior com ela, como você sugeriu, em se tratando de altura, acho que não tem mesmo muito o que se faça, uma vez que ontem tive a oportunidade de pilotar a nova Fazer e percebi que ela não era tão diferente da Lander, então ao chegar em casa entrei no site da fabricante e percebi algo que ainda não havia me dado conta: a altura da Fazer é pouco menor que da Lander, então acho que vou encarar perfeitamente a Ténéré. Mais uma vez muito obrigado pela sua gentileza, e parabens pelo seu trabalho nesse blog, continue com sua paixão pela Ténéré enquanto durar, porque eu também serei fiel enquanto a Yamaha não lançar uma de melhor proposta. Deixe sua mulher feliz, tenha como amante a Ténéré, que assim até ela vai querer participar. Grande abraço Fábio

    • Fabio, a unica concessionária que tem esse “modelo” é a familia Yamaha, que eu te passei o link, é uma adaptação, que você não irá encontrar em outras lojas. Só peço que quando for,verifique se não fizeram nada “prendendo” a mola da suspensão traseira, para limitar o curso e diminuir a altura do chão, pois isso não é bom para a segurança na pilotagem, se for só o banco mais baixo, legal, mas se tiverem reduzido o curso da suspensão “Sai Fora”…

      Assim que pegar a moto, sugiro que faça um curso de pilotagem, não sei se é muito dificil voce chegar até Santo André, pois aqui tem um cursinho bem legal para quem trocou de moto e procura se adaptar logo a ela. O cara é fera, eu já fiz o curso e recomendo, baseado nos comentários que você fez aqui sobre o receio de acostumar com a altura dela. Eu escrevi sobre esse curso em outro texto, lá tem o link do blog do instrutor para você entrar em contato e ver se realmente interessa. http://motordomundo.wordpress.com/2012/01/25/curso-de-pilotagem-defensiva/

      Abraço e boa sorte na sua escolha! =D

  12. Caro Marcelo, boa noite!
    mais uma vez muito obrigado por sua gentileza em me oferecer essas explicações e me dar essas dicas, valeu muito pesquisar esses detalhes. Com relação ao curso de pilotagem, eu conversei com o próprio Amaral que me atendeu com muita atenção e nos falamos por telefone por mais de quinze minutos, você tem razão o cara é fenomenal, eu posso afirmar isso com certeza. Em breve eu vou participar do curso no mês de agosto, já que não vou conseguir participar do próximo agora no dia 08 de junho, se não me engano. Cara tiro o chapel para você; parabens pelo seu trabalho aquí neste blog, e com certeza eu quero voltar muitas vezes para aprender mais contigo, e quem sabe compartilhar algumas informações.
    Muito obrigado mais uma vez, e grande abraço
    Fábio

    • Olá Fábio, obrigado pelo comentário, fico muito feliz em ler comentários como o seu!

      Eu pesquiso porque gosto muito do assunto, e gosto ainda mais da Ténéré 250. Só repasso o que aprendi, pois assim o conhecimento tem serventia para outras pessoas, como você! =D

      Sobre o curso, depois tu diz que fui eu que indiquei ok, assim ele me dá um desconto quando eu for fazer novamente,hehehe. E depois que confirmar o dia que tu vai, me dá um toque que vou lá para ver você em ação,combinado?

      Espero sim que continue sempre participando, gosto de conhecer pessoas com essa paixão pela moto que você demonstra nos seus comentários, saiba que fazendo uso consciente da moto, você terá muitas alegrias pela frente, com certeza!

      Abraço e se puder, apresente para seus amigos que curtem moto o blog, assim mais gente boa teremos para “prosear” bastante!

  13. ola pessoal blz ao ler seu blog achei joia suas explicações e tenho uma baita duvida entre xre 300 e tenere 250, pq a xre 300 todos quase unanimes dizem que vaza oleo e tenere tem problemas com cambio e agora fico com minha titam mesmo?

    • Caro Irio, eu pelo menos vejo apenas o câmbio da Yamaha apenas como “poderia ser melhor” e ainda acho que se o óleo do motor for trocado por um menos viscoso e semissintético, TALVEZ o cambio fique mais macio. Mas confesso que se fosse rodar bastante com a moto, irá se acostumar, e nem verá mais problema nisso. Entre XRE 300 e Tenere 250, certeza que vou de Tenere, a menos que possa investir na versão Honda com ABS, ai vai de onda e reza para o motor não dar problema…segurança sempre em 1º lugar na escolha. Abraço!

  14. Manos queridos, estou por comprar uma tenereezinha, que já apelidei de Terezeenha. rs Mas peço ajuda no esclarecimento de uma questão: O banco com desnível. Costumado a andar de custom, deixei de andar de moto e vendi por dores na coluna. Quando andei numa XR 200, emprestada, vi que pelo banco reto podia escorregar a bunda um pouco para trás e me senti mais confortável. Daí comecei a me animar em ter outra moto. Estava namorando a Lander quando saiu a Tenereé 250. A pergunta é: posso trocar o banco original pelo reto da Lander? Ou mandar o Erê fazer um reto mais confortável e com aderencia? Valeria o esforço/custo?

    • Olá Angelo, tudo bom?

      Eu particularmente não faria isso, pois quando andar com garupa com o banco reto, igual da Lander, terá um desconforto que no banco em 2 niveis te dá, mas já adianto que na ténéré a posição do piloto é ótima, mas do garupa eu não curti…poderia ser melhor.

      Pense nisso, mas acredito que se quiser mesmo fazer isso de por o banco reto na ténéré, terá que fazer um só para você, e creio que não compensa…

      Baita abraço e desculpa pela demora…ando correndo atrás do tempo…

  15. Acabo de comprar um Tenere250cc pela praticidade (on/off road) , autonomia na estrada (400km – 16L + o conforto) e ao tipo de tecnologia sempre aplicada aos produtos Yamaha. A motoca chega sábado, expectativa total.

  16. Cara, cambio duro, regulagem de cabo de embreagem. Somente isso.

    Cambio duro é da Harley sportster 883. esse sim é duro. Quando a freio borrachudo não acho. Tenho uma Lander a 4 anos desde zero.

    • Olá Paulo,

      Você tem o direito de achar o que quiser, assim como eu também tenho esse direito e uso ele para compartilhar minha opinião com quem curte motos.

      Abraço

  17. Gostei muito desse blog. Tenho uma Lander 2008 e trimestralmente tenho que rodar 800 Km para ver a família e chego todo dolorido por causa do banco duro e da turbulência, por isso tenho vontade de trocar pela Tênêrê, que tem o mesmo consumo e peso além do conforto maior. Quando viajo com a familia, levo a moto engatada no carro com o transmoto que suporta até 150 Kg. A relação coroaXpinhão da Tênêrê podia ser diferente da Lander já que ela também tem 5 marchas e tem uma proposta mais estradeira,. Obrigado pelas dicas.

  18. Desde de que me entendi no mundo, sempre fui apaixonado por motos principalmente as of roud, atualmente possuo uma xtz 125 es 2007,moro em cidade pequena onde a yamaha nao deispoe de peças de reposiçao para seus produtos e essa é uma das razoes na qual tomei a decisao de entrar na familia hond …e a mais dois anos pago um consorcio da crf 230 que por razao de falt de plac mudei para a xre , e ta facil de tirar, no ultimo slip para tirar só 2500 de lance, mas ainda nao estou convencido de que est moto va me satisfazer, pois estou a espera de um nov lançamento da hon que segue os meus criterios, meu estilo….

    • Olá amigo, sugiro que espere a CRF 250L ser lançada, a real sucessora da extinta e boa Tornado. Logo logo está nas lojas e vale a pena esperar pelo seu perfil.

      Abraço!

  19. Boa Tarde a todos!
    A tempos venho pesquisando uma moto que tenha o melhor custo benefício. Pretendo viajar para o Uruguai, Argentina e Chile em Janeiro de 2013. No momento não posso comprar uma Big Trail, pois o custo de aquisição de manutenção seguro consumo etc inviabilizaria a minha viajem.
    Depois de ler bastante e de fazer alguns testes drive resolvi comprar hoje a minha Tenere 250, achei a moto bem confortável e como pretendo fazer a viajem sem pressa estou apostando nela mesmo com as críticas que venho recebendo quanto a baixa potência.
    Fechei o pedido hoje (21 de Outubro 2012) devem me entregar na terça feira, pretendo fazer umas viagens curtas para sentir a moto antes de me lançar pela América do Sul, espero ter feito uma boa opção de compra.

    Abraços

    Marcelo

    • Amigo, parabéns pela aquisição, eu estou tentando comprar a minha mas ainda não tenho grana.

      Sobre as criticas sobre a potência. Depende do que as pessoas que criticam pensam. Pois se você respeitar ( você e todo mundo deve fazer isso )os limites de velocidade ( máximo= 120km/h ) você vai sossegado até o fim do mundo, pois o motor atende esse limite tranquilo. Agora, se quiser andar acima do limite, desrespeitando as leis como muitos fazem e correndo riscos de um acidente. Ai não recomendo essa moto. Ela não merece…

      Depois me mande noticias sobre sua viagem e impressões da moto.

      Abraço e que tenha muitas alegrias com sua nova motocicleta! =)

    • gostaria de saber noticias sobre como a moto se comporta em longos trechos, principalmente em conforto.
      obrigado

      • Olá Jorge,

        Eu já viajei com a minha Ténéré até Curitiba, em uma viagem de 450 km. Eu achei satisfatório o nível de conforto. Na garupa, o peso do passageiro vai interferir na sua opinião. Eu, com 90 quilos, após 50 km achei uma bosta, mas minha esposa, com 65 km, viaja tranquila e diz gostar do conforto. Então, dependendo do peso, pode ser ou não uma boa opção, mas sem dúvida, é melhor que a Lander, pois o banco 2 niveis faz com que o garupa não prejudique o conforto do piloto.

        Agora falando sobre o comportamento dela, por ser alta, e não ter o cuidado com centro de massa, que as Big trail tem, em alta velocidade, ela fica levemente instável com o pneu original, eu troquei o dianteiro por um 90/90, e melhorou. Mas isso não deve ser considerado um defeito, pois todas as motos trail apresentam esse comportamento. (muito ágil em baixa velocidade, e levemente instável em alta velocidade)

        Espero ter ajudado.

        Abraço

        • ajudou ,obrigado, sem mais duvidas, vou atras de uma tenere porque a minha pequininha xtz não tá daqndo conta do recado,. valeu.

  20. Obrigado pelas recomendações, minhas preocupação não é nem em andar muito, 100 km /h tá de bom tamanho. O que me preocupa é as “subidinhas” da cordilheira e o vento que dizem ser bastante fortes.

    Mas acredito que vai dar tudo certo. Meu primo tá preparando a Super Teneré 98 dele qualquer coisa amarro uma corda e ele me pucha . kkk

    M

    • Me mantenha informado! Acho que conseguirá ir tranquilo com essa moto.

      Tire bastante foto, desde já deixo aqui o convite para publicarmos o relato da sua viagem aqui no blog. Se tiver interesse, claro!

      Abraço e sucesso com a motoca! =)

      • A primeira viajem com ela foi tudo bem. Saí de Barueri, SP para Caraguátatuba, pela ãirton Sena e Tamoios. Passei a noite em Caraguátatuba e no outro dia emendei para Paratí.
        Muito econômica, andei na faixa dos 115 km/h para não forçar o motor que tava amaciando.
        Peguei treçho de sol, vento e chuva. Bom para ter uma ideia do que vai ser em janeiro. Quando pretendo ir para o Chile.
        Média de consumo em torno de 30 km/litro.

        • boa média de consumo para um motor ainda em amaciamento!

          Me mantenha informado sobre sua viagem ao Chile, se fizer boas fotos, terei o prazer de publicar sua estória aqui no blog!

          Abraço

  21. Olá Marcelo, pesquisando encontrei seu blog e estou achando ele fantástico! Parabéns pelo espaço. Apesar de ter 42 anos nunca andei de moto, quer dizer, tentei algumas vezes mas parei.

    Hoje estou interessado em comprar uma fazer ou tenere 250cc, tenho 1.76cm e na loja a moça me falou que eu deveria inicialmente começar com a fazer por ser mais baixa e só depois que estiver mais experiente passar pra teneré. Você com sua experiência me recomenda qual das duas meu amigo?

    Abraços e aguardo notícias do amigo pra tomar a melhor decisão. Fica com Deus irmão!!!

    • Olá Sandro, fico honrado com seus comentários. Obrigado! =)

      Sobre sua duvida, antes de responder, preciso saber. Você tem habilitação de moto? Você pretende andar em alguma estrada de terra que por ventura tem na sua região?
      Aqui em SP, tem uma concessionária que vende um acessório para a Ténéré que chama “x-confort” que basicamente diminui a altura do assento da moto, para tornar mais confortável para os de menor estatura ( que não acho ser seu caso com 1,76…) Pergunte se na concessionária próxima a você existe esse acessório.
      Outra dica, tente antes de comprar, andar nas 2 motos. Assim terá mais certeza do que realmente quer…
      Como sou suspeito para falar e acho uma moto no estilo trail como a ténéré muito mais apropriada para as ruas em estado péssimo aqui de SP, não pensaria 2 vezes. Iria de Ténéré.
      Mas lembre-se, a adaptação a moto existe paciência e prudência. Ande com calma, vá se acostumando, antes de “sentar a mão” no acelerador dela.
      E ANDE SEMPRE EQUIPADO!
      Forte abraço!

  22. Bem Marcelo, ainda não tenho habilitação e mal sei andar de moto. mas de uns tempos pra cá meu irmão, sinto uma vontade enorme de poder participar desse mundo de duas rodas.

    Talvez seja a crise dos 40, kkkkkkkkkkkkkkkk. Resido no Nordeste, mas precisamente no estado de Sergipe e em alguns interiores será necessário andar em estrada de terra.

    Realmente não sei ainda quase nada de moto, mas já estou comprando revistas e entrando em sites pra me mantar atualizado. Minha dúvida é se pra aprender já posso começar com a Ténéré, acho ela demais.

    Valeu meu amigo, fico aguardo de suas sugestões e um forte abraço

    • Sem habilitação…você não está pensando em comprar a moto sem fazer o curso e obter após passar na prova prática sua habilitação, não é mesmo?

      Sobre a vontade de pilotar, acho isso ótimo! E realmente a motocicleta irá te proporcionar muitas alegrias, talvez alegrias que nunca teve em 40 anos…( estou usando minha experiência com a moto para falar isso…).

      Porque não compra uma yamaha xtz 125 para aprender e se acostumar com a moto. É uma moto bem mais simples que a ténéré, mas irá te servir por um tempo. Quando dominar ela, vende e compra a ténéré. Talvez seja mais seguro, apesar de que conheço gente que comprou de cara a ténéré e se virou bem para aprender e se acostumar a pilotar moto com ela…

      Enfim, acho que eu já falei o que está ao meu alcance, cabe a você decidir o que é melhor para você. Só não vá pilotar sem ter habilitação,ok?

      Forte Abraço!

  23. Antes de mais nada, gostaria de parabenizar a turma pelos comentários. Só que há alguns dos participantes que, por não saber escrever, não conseguem deixar claro o pensamento que querem expor. São frases mal feitas, incompletas, sem nexo e com muitos êrros de grafia. Não sabem, por exemplo, que “aumentaram” se escreve com “m” no final e não “aumentarão” que assim o verbo fica no futuro. As idéias devem ser claras e precisas para o leitor poder entender o que alguém quer dizer, senão fica difícil…

    • Ola Pedro,

      Poderia ser mais preciso na sua reclamação, pois assim como o que supostamente está afirmando, eu não achei claro e preciso o que quis dizer.

      Abraço

  24. Fiz minha primeira viajem no Feriado de Finados para Parati. Adorei a moto, econômica anda bem, confortável, recomendo.
    Marcelo.

  25. Estou para comprar minha Ténéré 250. Tenho uma Titan 150 para uso diário. Todos os dias 40 km entre ida e volta do trabalho em rodovia, com asfalta muito mal cuidado, resolvi que era o momento de ter uma moto mais confortável e potente. Depois de muito pesquisar, ficou a dúvida entre a Lander e a Tenere; Pelos relatos em sites e opiniões de amigos, essas duas seriam as ideais para o que preciso; Decidi pela Tenere por livre e espontânea pressão da esposas (rsrs), que preferiu uma garupa mais confortável também.

    • Caro Francisco, seja bem vindo ao blog!

      Apesar de usarem o mesmo motor, a experiência na pilotagem é diferente, e eu curti mais ( para andar com garupa ) a Ténéré, apesar da Lander ser um belo “tratorzinho” que sobe onde você quiser, mas se tiver sem garupa, lógico.

      Sobre o banco, o da Ténéré é melhor que o da Lander, pois é em 2 níveis, porém o conforto do garupa não é dos melhores, infelizmente. Talvez um banco “erê” ou mandar no tapeceiro para por mais espuma na posição do garupa resolva isso. Esse problema é só no garupa, pois o banco do piloto é muito confortável. Pense nisso.

      Abraço

  26. Olá Marcelo, eu ainda nao havia reparado na Tenere 250 mas agora que estou às vérsperas de adquirir uma nova moto comecei a pesquisar sobre motos nessa faixa de 250 / 300 e estava muito inclinado a comprar a Fazer, até começar a olhar para a Tenere. O seu blog me ajudou a ter mais conhecimento sobre a moto, por isso obrigado por este espeaço, continue assim. Ví muitos relatos de problemas com a cb 300 e com a xre 300 da honda, ao passo que vi muitos comentários positivos em relação a Fazer. Então gostaria de fazer uma pergunta, talvez até idiota, sobre a confiabilidade da Tenere, ela apresenta algum problema crônico como as da honda? Ou é uma moto que não vai me deixar na mão por defeitos em seu projeto? Estou realmente muito seduzido pela Tenere, que ao contrário do que muitos dizem, pra mim é linda e com muita personalidade. Andar de moto é uma das melhores sensações da vida, 4 rodas é para os fracos rsrsrs.´

    Bom trabalho Marcelo.

    • William, fico feliz em saber que o blog é útil, deixe os outros falar, muita gente fala sobre motos que as vezes nunca viu, e pilotar então…nem em sonho.
      Acredito que a melhor moto do mundo é aquela que atende todas as suas necessidades, e que você consegue manter com a manutenção em dia. Problema crônico ela não tem, pois é um projeto bem acertado. Só acho que peca pelo sensor híbrido, que SE apresentar problema, não é vendido separado, e tu irá ter que comprar um corpo de aceleração novo. Não acho isso legal, mas ainda assim é a motocicleta que desejo comprar e também acho ela muito bonita!

      Ah, e nunca diga que sua duvida é idiota, pois nenhuma duvida é idiota, boba, ou qualquer coisa do tipo. Tem duvida, pergunta!!!

      Abraço e eu também ODEIO carros…

  27. Marcelo bom dia, bom primeiramente meus parabéns pelo blog! Por muito tempo procurei locais onde falam das motos tanto pelo ponto de vista técnico quanto ponto de vista do consumidor. Bom vamos ao que interessa… Sou proprietário de uma Yamaha ténéré e digo… Você não vai se arrepender! Pois já tive Falcon, CG 150 e ja andei de Tornado e XRE300. A diferença entre Honda e Yamaha é uma só Qualidade excelente do produto. Em mais de 18 mil km (isso pegando apenas auto estrada e até mesmo fazendo algumas trilhas) nunca tive problemas sérios de mecanica há não ser trocar pneus e pastilhas de freio, unica coisa que me chateava as vezes era estar no semáforo e quando ela estava á 1000 RPM insistia em morrer quando puxava mais o cabo do acelerador, então depois que regulei a lenta não tive mais problemas. Além do custo de manutenção ser muito baixo devido as peças serem da sua irmã Lander XTZ. Pra finalizar… Depois que comprei Yamaha não quero mais saber de Honda.
    Abraços e mais uma vez parabéns pelo Blog.

    • Marcus, agradeço pelo seu comentário!

      Quer uma sugestão, ou duas? Coloque vela de iridium e troque o flexível do freio original por um de malha de aço. Mudanças que farei com certeza quando tiver a minha.

      Abraço!

      • Muito obrigado! Vou providenciar essas alterações. Parabéns mais uma vez pelo blog e o acompanho através do facebook. Abraço

        A

  28. Olá Marcelo, bom dia?? Ante de mais nada, quero parabenizá-lo pelas abordagens aqui. Passei um tempão lendo todas…
    Venho aqui pedir uma informação, abusar do seu conhecimento: quero comprar uma moto, fiquei entre a XRE 300 3 a nova XTZ Ténéré 250. Tenho 1,68 de altura, pretendo usar pouco a moto, e umas viagens de vez em quando. Pretendo passar um bom tempo com ela. Qual seria a mais indicada?? Desde ja, agradeço a atenção… Abração
    Rhomer Gomes – Ipiaú / BA

    • Olá Rhomer, agradeço pelo seu comentário.

      Sobre sua duvida, sou suspeito para falar, pois o próprio post já responde. Sou + a Ténéré.

      Sobre sua altura, a diferença da altura do assento é de apenas 5 mm entre elas ( xre com 860 mm e a Ténéré com 865 mm ).

      Sugiro que procure um test ride para fazer nas 2. Eu não curti a XRE e achei boa a Ténéré. Mas sua impressão durante a pilotagem vai ser decisiva. Veja como é a assistência técnica das 2 na sua região. Se uma das 2 não for boa, pode pesar na sua escolha.

      Em SP na concessionária Família Yamaha, eles vendem um kit chamado “x-confort” que reduz a altura do assento, o que pode ser uma solução para seu caso. Conversei com eles, e esse produto foi desenvolvido com acompanhamento da fábrica.

      O seguro da yamaha é mais barato que da xre também…

      Torço para que fique satisfeito com sua próxima moto, depois comente aqui o que decidiu!

      Abraço

  29. Olá Marcelo,
    No início deste post, em abril de 2012, eu disse que optaria pela Lander, mas acabei comprando a Ténéré 250. E não estou nem um pouco arrependido. Contudo, se a XTZ 250X ainda estivesse sendo vendida, acho que seria ela a minha escolha.
    Eu tenho 1,77m, 72kg e domino muito bem a moto, que é bem alta mesmo.
    Não achei o freio borrachudo. Fiz vários testes de frenagens (locais vazios) e a moto pára com eficiência. Cheguei até fazer o pneu da frente quicar, soltando logo o manete para cair. Ou seja, a roda dianteira trava mesmo, mas, com progressividade. Já os freios das motos Honda travam com facilidade, levando o piloto ao chão com mais facilidade também.
    Fiz duas médias de consumo (26 e 27km/l). Acho que tenho a mão pesada! Mas, a moto ainda está amaciando o motor e sigo as recomendações do manual. Espero passar este período para poder pegar a estrada.
    Não acho o banco da Ténéré 250 duro. Eu acredito que a maioria dos pilotos que reclamam disso é porque não devem ter a bunda bem acochoada! :-p Coisa típica de homem. Mas, qual seria a opinião das mulheres?
    O conforto do garupa é ótimo. A esposa até elogiou. E olha que ela não gosta de moto. Acho muito machismo deixar esta análise para as mulheres. Eu queria ver era a opinião dalas ao guidão.
    No início eu não tinha nenhuma reclamação contra o câmbio, mas estes últimos dias, a primeira marcha está dando um pouco de trabalho para engatar. Vou pedir para verificarem na primeira revisão.
    Quanto ao neutro, ele não tem sido difícil de achar. Mas, é mais fácil achá-lo saindo da primeira marcha do que da segunda.
    Uma coisa eu devo avisar: A balança traseira não vem lubrificada!
    Tive que fazer isso por conta própria e o pino graxeiro se soltou ao puxar a graxeira. A concessionária trocou o pino na garantia. Pessoal, pegou a moto na concessionária? Então vão lá na oficina do bairro e peçam para lubrificar, se você não quiser se indispor com a loja.
    Quanto a rebeta: É aquilo ali mesmo! Não é enfeitada como a XRE e outras da Honda, pois, o estilo da Ténéré 250 é trail tipo rally. Observei as rabetas de várias outras motos (maxi trail) e são desprovidas de enfeites.
    Recomendação: Não compraria outra moto diferente da XTZ Ténéré 250.
    Positivo: Econômica, bons freios, bom banco, carenada, painel moderno e fácil visualização, potência atende para cidade e estrada (respeitando o limite de velociadade).
    Negativo: falta bagageiro de série, pneu da dianteira poderia ser 90/90.

    Uma pergunta: Se eu quiser trocar o pneu dianteiro, o que eu faço com o original que ainda é novinho?

    Abraços.

    • Olá Adelmo, em primeiro lugar quero agradecer pela sua contribuição com um comentário tão rico em informações para quem está interessado nessa moto – eu me incluo nessa lista.

      Sobre o pneu. Simples, gasta ele inteiro sem dó! Ai você troca. Não creio que compensa deixar guardado, pelo menos eu não faria isso.

      Grande Abraço!

    • cara valeu seu comentário, muito bom, se alguem estava em duvida , já era, agora é correr pra pegar uma.

  30. Olá Marcelo, boa noite a vocês e a todos!
    Hj e amanhã estou em treinamento pela empresa em Sampa. Sou de Vitória/ES.
    Torcendo para que chegue logo o sábado, 08/12, pois às oito horas estarei na Concesionária Yamaha em Vitória, para retirar a minha primeira moto (e logo de cara uma Tenereé 250 zero!).
    Há dois meses aprox. aproveitei o vencimento de minha CNH para renová-la com a adição para motos (Cat. AB).
    Hoje tenho 50 anos, recém completados, mas desde os 20 e poucos anos desejava ter uma moto… sempre gostei… sempre “torço o pescoço” quando ouço um ronco nervoso de um motor.
    Por duas vezes estive em lojas pra comprar uma moto e só desistia no último instante, pois ainda não tinha a carteira… agora chegou a hora.
    Muitas pesquisas sobre o meu “estilo”, e particularmente prefiro uma naked ou sport… mas tenho uma esposa parceirona, que tenho a certeza que iria gostar muito de começar a cortar umas estradas comigo, sentando-se na minha garupa…aí a razão falou mais alto e decidi comprar algo que desse mais conforto para a amada.
    E também para que eu pegue a “manha” antes de me aventurar em uma moto maior (fiquei apaixonado pela XT660Z… e louco quando montei numa 1200 super teneree… coisa de doido!!).
    Vou colocar o link de seu blog nos meus favoritos, e logo logo espero poder contribuir com as impressões de um novo motociclista.
    Vc está realmente de parabéns pela qualidade de seu texto, do respeito às outras marcas, apesar de sua declarada preferência pela Yamaha… eu creio que esse respeito é fundamental para que suas opiniões, sempre sinceras, objetivas e técnicas sejam respeitadas.
    Parabéns !!

    • Olá Milton, fico feliz em saber que está entrando para o mundo mágico das motocicletas! Seja bem vindo! =)

      Eu penso exatamente como você na hora de decidir uma motocicleta para comprar, lembro do conforto da minha esposa. Mas já vou te adiantar, e talvez eu tenha até que atualizar esse post. Tive a oportunidade de andar na garupa da ténéré e eu sinceramente esperava mais quando ao conforto, que destoa um pouco do conforto do piloto, que eu aprovei e gosto muito. Se sua esposa reclamar, sugiro que procure um bom tapeceiro para reforçar a espuma apenas na parte do garupa, para melhorar o conforto dela. Existem empresas que vendem bancos com mais conforto que os originais, que costumam ser usados por mototuristas, que fazem grandes viagens.

      Agradeço pelos elogios feitos, isso é um grande motivador para que eu continue escrevendo!

      Sobre a ténéré 660, só vou comentar um detalhe, eu tenho 1,85m de altura, e fico na pontinha do pé nessa moto, apesar de realmente ser uma baita moto, veja com a sua altura não seria um tormento toda vez que parar eu algum lugar, lembrando que com garupa, é mais peso para controlar, e no meu caso, na pontinha do pé…achei que podia ser alguns centimetros mais baixa a altura do banco dessa moto.

      Grande abraço e saiba que seu relato me deixou feliz camarada, depois mande um comentário dizendo o que está achando da moto e da sua nova fase da vida, afinal, a motocicleta muda a vida de qualquer um, para melhor, claro! =)

      Namastê

  31. Olá Marcelo, gostei muito da sua avaliação da xtz250 ténéré, me declaro também um fã e proprietário satisfeito da moto. A minha, 2011, já está com 18.000 Km e troquei há três meses o pneu traseiro , coloquei o original,agora pretendo trocar o dianteiro. Bem daí lhe pergunto, caso faça opção pelo Metzeler conforme sugeristes, não irá pegar no paralama ou ficar muito colado? Outra pergunta,como essa é minha primeira Yamaha, estranhei a borra no cano de descarga, muito preta, apesar de seca. Minhas outras motos 4T a borra era cinza clara bem fininha. Cheguei a pensar que meu motor estava com problema, mas já examinei diversas outras Ténéré com a mesma queima. Por que isso? Desde já lhe agradeço.Abraço

    agora

  32. Oi galera.
    To adorando a minha terere!!
    Uma dica legal .
    com oleo motul 300v sai 50.por cento do barulho do motor tipo a saia do pistao batendo( tipico de motores com cilindro de.cromo e pistao forjado) e o cambio ficou como o de uma cg.
    outra coisa
    A suspensao dianteira.minha.foi.alterada pelo Dilvo . E ficou bala. Agora eu passo os quebra molas a 100 por

    hora sem a sensaçao de sair voando da moto.

  33. Olá amigos boa noite tenho uma Sahara há pouco mais de dois anos minha paixão tive outras motos inclusive 0 km porem 125 como a xtz por exemplo e lhes digo uma coisa nao troco minha sahara 1999 por nada que motoca maravilhosa uso todos os dias cerca de 30 km e sem problemas nenhum somente manutenção preventiva é um trator!!!

  34. Uma retificação, a borracha do híbrido pode ser comprada no mercado livre por 40 reais… Eu comprei na própria CC de Florianópolis…

    • Olá Vagner. Tudo bem? Meu caro, estou pensando em adquirir uma Sahara 1999. A meu pedido, ela já foi visitada e aprovada por motociclista experiente, dono de uma mesma Sahara há mais de 20 anos e membro ativo do Sahara Maníacos.
      Para você, quais são os pontos negativos a serem considerados? E na hora da manutenção, tendo de aquirir componentes originais Honda, como é?
      Agradeço sua atenção. E fico no aguardo.

      • Olá Roberto,

        Escolher uma moto é sempre complicado, pois diferente do carro existe o fator emoção que pesa muito na hora de comprar a moto. Se você curte muito mesmo a Sahara, sugiro que compre, pois não tem nada melhor do que comprar a moto que deseja, independente do que as pessoas, “especialistas” ou não te indiquem. Simples assim.

        Agora sendo imparcial, como eu disse no texto, desisti da compra da Sahara, pois além de não saber se a moto foi bem cuidada pelo antigo dono, é uma moto fora de linha, com tecnologia defasada em relação aos modelos atuais, e talvez o fator determinante seja a questão das peças de reposição. Eu tenho por costume comprar sempre o máximo de peças possível original. E quando a moto é antiga, o fabricante tem a obrigação de manter por 10 anos as peças em estoque, depois está na mão de Deus camarada. E moto que não vende muito, no mercado de reposição não encontrará.

        Antes de fechar a compra, sugiro que faça uma pesquisa nos modelos 0 km disponíveis no mercado, se nenhum te satisfazer, compre a Sahara, mas se reflita sobre as informações que apresentei aqui.

        Abraço!

        ps: Quem é Vagner?

        • Caro Marcelo, agradeço sua resposta.
          Minha esposa anda me dizendo que eu preciso vencer minhas paixões (motociclísticas), ou me render à elas de vez. Ela e mais alguns preferem que eu compre uma moto 0 km (as 250, Fazer ou Ténéré). Pesquisei bastante e poucos foram os proprietários de Sahara que encontrei insatisfeitos, a esmagadora maioria está ou estava feliz com a moto na ocasião do registro dos seus depoimentos na web.
          A dificuldade para encontrar peças sem dúvidas existe, mas com paciência penso que isso pode ser contornado, pois, do contrário, o Sahara Maníacos, por exemplo, não teria tantos membros ativos.
          As matérias que encontrei na impressa especializada engrossam o coro dos contentes com essa moto. Nunca tive uma. Nunca a pilotei. Eu apenas busco uma moto que possa me oferecer mais por meno$, que em “seu tempo” reconhecidamente ofereciam mais, por mai$.
          Quanto ao Vagner, é o leitor proprietário de Sahara que postou um comentário aqui no dia 16/01/2013 às 21:11h. Logo acima.
          Obrigadão. Forte abraço e parabéns pelo excelente trabalho que vem desenvolvendo neste blog. Me tornei assinante.

          • Entendi Roberto,

            É como você mesmo disse, se você tiver paciência para encontrar uma peça que precisa e ficar sem a moto no período, beleza. Eu não tenho essa calma toda e prefiro ter uma moto que quando apresentar qualquer problema, eu corro na motopeça mais perto e está resolvido. É apenas essa questão que quero que pense, se não quer usar diariamente a moto, ai beleza, mas se usar todo dia, ela desgasta naturalmente e a troca de peças para manutenção será uma constante.

            Forte abraço e continue acompanhando o blog!

    • Olá Tiago, eu não entendi onde seria a retificação. Se for no texto, eu não me referi ao kit de vedações do hibrido, que na própria concessionária você encontra, eu me referi ao sensor em si, quando o mesmo apresenta avaria no sensor de pressão. Ele não é vendido separado, pois o fabricante alega que existe um pareamento entre o sensor híbrido e o corpo de aceleração que se não respeitado, pode gerar perda de eficiência no sistema.

      Abraço!

  35. Olá Marcelo
    Como a Ténéré XTZ 250 é minha primeira Yamaha, estranhei a borra no cano de descarga, muito preta e espessa, apesar de seca. Nas minhas outras motos 4T a borra era cinza clara bem fininha. Cheguei a pensar que meu motor estava com problema, mas já examinei diversas outras Ténéré 2011 como a minha, com a mesma queima. Por que isso? Desde já lhe agradeço.Abraço

    • Antes de lhe responder, desci até a garagem para ver a minha como estava… Passei o dedo no furo do escapamento e sujou pouco com fuligem preta, no meu entendimento, normal.

      Se isso que você chama de “borra” está realmente espesso, sugiro que primeiro faça uma limpeza na saída do escape e rode com a moto para ver se retorna.

      O que você pode fazer antes de levar em um reparador qualificado: reabasteça o tanque com gasolina podium da BR, sim ela é cara, mas vai dar uma limpada no seu sistema. Verifique o óleo do motor, se está usando o original, no caso Yamalube, e está fazendo as trocas no prazo do manual, ok. Se estiver usando um óleo diferente desse e com qualidade duvidosa, troque o óleo e filtro e volte para o Yamalube, ou um de qualidade superior. Durante a troca, não coloque mais óleo que o especificado no manual. Pois isso fará o motor fumaçar um pouco, pois o óleo em excesso irá subir para a camara de combustão e ser queimado junto na combustão da gasolina. Cheque se a vela de ignição está boa, se não estiver, troque também.

      Verificando tudo isso, e o sintoma persistindo, leve a moto em um reparador de confiança, e já explique tudo que fez antes, para auxilia-lo a identificar logo o problema.

      Abraço

  36. Eu tenho uma Ténéré 250 a 10 meses e não sei expressar o prazer de pilotar uma moto com tanta história. Já viajei 10 dias com ela e a tenerezinha deu um show. Uso ela só pra lazer e ela é completamente fantástica. A XRE 300 não chega nem perto da Tenere. A turma fala um monte de bobagens nos comentários e aposto que a maioria nunca andou numa Tenere. Eu já tive o desprazer de andar numa XRE e espero nunca mais ter que andar. Parabéns pelas informações, ficaram show. Grande abraço.

    • Valeu Marco, eu também não curti a XRE, por alguns motivos. Estou curioso para ver a CRF250L, porém, ela está mais para Lander, do que para Ténéré.

      Abraço!

  37. Pessoal, bom dia! Eu sou proprietário de uma Honda Tornado já faz onze anos. Com essa moto já viajei para a Cordilheira dos Andes duas vezes, visitando países como Peru, Bolívia e Chile. Juntamente comigo, havia outras pessoas, cada uma com sua Yamaha Lander… Baseado na experiência dessas viagens, posso dizer que injeção eletrônica é algo importantíssimo quando se viaja por trechos situados em grandes altitudes. Outra coisa muito importante, chama-se autonomia. Fora do Brasil, a quantidade de postos de combustível é bem menor e muitas vezes falta gasolina. Autonomia maior também pode significar rapidez, porque você irá parar menos para abastecer. O tempo ganho será ainda maior se você estiver viajando em grupo. Portanto, nesse tipo de viagem, a Yamaha Teneré 250 apresenta a vantagem da maior autonomia em relação à XRE 300.

    Ainda não pilotei uma Teneré 250. Particularmente, não gosto de bolha. Se eu comprar essa moto, vou ver se consigo colocar uma bolha menor, apenas para não prejudicar a estética da moto. Um bagageiro também é fundamental. Fiz um teste drive na XRE de um amigo, percorrendo um total de 100 km em asfalto. Naquele momento, passei minha Tornado para meu amigo e fiquei curioso para ver o rendimento da XRE. Comparando com a Tornado, as 50 cilindradas a mais da XRE fizeram a diferença nas subidas e trechos com forte vento contrário. O que eu não gostei foi a sensação constante de estar pilotando uma moto concebida mais para o asfalto. Ela não tem a mesma agilidade da Tornado. Espero ainda fazer um teste drive na Teneré 250 para decidir qual moto vou comprar para substituir a Tornado. A Honda CRF 250 L está fora de questão, pelo fato do seu tanque ter capacidade para apenas 7,7 litros de combustível. Numa viagem fora do Brasil seria impraticável. Também acredito ser a Teneré bem menos visada pelos ladrões, uma grande vantagem para quem viaja sozinho…

    • Olá Jefferson, bem vindo ao blog e quero parabenizar pelo seu comentário, rico em informações. Concordo com tudo que disse, com exceção da questão da bolha, que eu acho muito útil, e inclusive coloquei uma maior na minha, que em viagens ajuda muito a ficar menos cansado.

      Abraço e depois que pilotar a Ténéré, eu gostaria de saber sua opinião.

  38. Marcelo
    Obrigado pela sua orientação a respeito da manutenção da Ténéré 250. Acho que exagerei um pouco sobre borra espessa, na verdade é uma fuligem negra, que ratifico, ainda não havia visto em motores 4T. Mas suas orientações me deram um grande alívio, já que sigo a risca as recomendações do manual.Outra dica que queria lhe agradecer é a troca do pneu dianteiro pelo 90x90x21 , não coloquei o Metzeler só pelo preço salgado, mas porque fui em quatro lojas e não o encontrei e aí só pela web. Numa das lojas me recomendaram o Viper da Maggion, que achei excelente, além de custar metade do preço de um Metzeler, a moto está com um grip fantástico, não sai mais de frente e não quica mais em lombadas. Realmente uma dica preciosa. Espero que a minha dica da marca do pneu sirva para outros leitores.
    Abraço

  39. ola pessoal,eu ja estava querendo compra a tenere 250 ,pois queria uma moto para o dia dia e tambem para viagens com minha querida esposa ,fui primeiro com meu genrro ver na cc , pois foi ele que me falou dela e gostei muito pessoalmente , na cc testei ela parado mesmo ,testei na posição de pilotagem e de garupa, tive a inpressão que tanto ao piloto e garupa é bem confortavel pois minha altura e da minha esposa é 1,68 e as pernas não ficam recuadas para tras e a costa não fica enclinada ao pilotar, depois voltei a cc com miha esposa e ela morreu de vergonha pois fiz ela sentar na garupa para testar e ela gostou muito da moto e não vê a hora de comprar para curtimos os passeios nas estradas.Agora meu amigo Marcelo a pergunta é. ela realmente boa e confortavel para eu e minha esposa viajarmos , ja que gostamos muito de irmos a praia em torno de 250km para ir e 250km para voltar pois moro em Limeira e geralmente vamos para baixada Santista .aguardo resposta e parabens pelo blog esta ajudando muito não só eu mas acredito que muitos amigos . Um abraço .

    • Olá Vladimir, primeiro, quero parabenizar pelo modo como está escolhendo sua próxima moto. É isso mesmo, vai uma vez, depois leva sua garupa, pesquisa bastante, é isso mesmo!

      Sobre o conforto em viagens de média distância, eu posso dizer que sim. Já fiz viagem de 450 km e foi tranquilo(sp-curitiba). Acredito apenas que quando o garupa é muito pesado, o banco incomoda com o tempo de viagem sim. Já andei na garupa da ténéré em torno de 100 km e não gostei, porém, minha mulher, que pesa menos, não reclamou e gostou do conforto.

      Abraço e espero ter ajudado.

  40. ola pessoal ,Marcelo obrigado pelo pela resposta e pela experiencia sua e de outros amigo que ja tem a moto e comentam sobre ela,pois é ela mesmo que vou comprar não vejo a hora ,pois estou esperando o inicio do mes de março para ir a cc.caso a cc não tenha a pronta entrega sera que demora muitos dias para chegar e quando eu estiver com a moto demora muito para emplacar pois não sei quanto tempo poderia andar com a moto sem placa .Obrigado . Abraço a todos.

    • Olá Vladimir,

      Sobre os prazos de entrega da moto, depende de cada concessionária. Não existe um prazo fixo. Visite as lojas e veja quem entrega antes a moto para você. Sobre o emplacamento, vou lhe ser sincero. Se tiver uma agenda corrida durante a semana. Pague para pegar a moto já emplacada e com o doc. no seu nome. Eu não quis pagar para pegar o doc. pronto e fazer toda a “via sacra” para emplacar não compensou a “falsa economia” que pensei estar fazendo. Se puder pagar para emplacarem para você, melhor.

      Abraço

  41. valeu mesmo Marcelo, muito obrigado, vou verificar na cc e assim que eu comprar a motoca voltarei para comentar .desde ja um abraço até mais.

  42. bom dia pessoal . Marcelo ou outro amigo ,gostaria de saber qual a diferença entre comprar uma tenere 2012/2013 e 2013/2013 zero pois o vendedor falou que a 2013/2013 o preço é maior 400 reais a mais , qual devo comprarl estou em duvida , pois não sei a vantagem e desvantagem, agardo retorno , obrigado

    • Se a estética for a mesma entre a 12/13 e 13/13, NADA MUDOU. Aliás, é uma boa hora para comprar moto, pois a diferença de preço pode ser aplicada na documentação para emplacamento da mesma. Ajuda bem vinda.

      Abraço

  43. muito obrigado Marcelo. porque a cc que iria comprar não tem mais a 2012/2013 teria que encomendar a 2013/2013 , e vai demorar uns 20 dias para cegar alem do preço ser maior, mas encontrei 2012/2013 em outra cc na cidade ao lado a pronta entrega, posso comprar sem problema pois como voce falou não tem diferença no modelo , abraços.

    • Pesquisar bem é a chave para um bom negócio. Apesar de eu gostar muito da Ténéré, sugiro que pesquise, leia matérias em revistas e sites especializados, tente fazer um test-ride na moto, enfim, obtenha o máximo de informações para saber se esse modelo é ou não o que irá lhe agradar mais. Pois uma compra sem a devida pesquisa pode fazer a alegria virar frustração. Pense nisso!

      Forte Abraço!

    • A resposta é “depende”. Eu explico, eu, com 90 quilos, senti um baita desconforto ao percorrer 100 quilômetros na garupa dessa moto. Porém, minha mulher, com 65 quilos, não reclamou da mesma garupa rodando 450 quilômetros. Lembrando que existem empresas especializadas em fazer bancos mais confortáveis para vários modelos de motocicleta. As vezes, pode ser a solução que você precisa no seu caso.

      Abraço

      • Obrigado por responder, piloto na faixa de 75-80kg e garupa 65kg, colocando um banco mais confortavel sim, mas a moto aguenta bem não é ? sem ter a necessidade de reforçar quadro como já li pessoas fazendo isso. Estou começando a planejar uma viagem para daqui alguns meses, se fosse sozinho iria com essa moto, mas com garupa, fico na dúvida, pois já estou querendo mudar os planos e fazer uma viagem bem mais longa, uns 5 mil km, mas sem presa de chegar, ai fica a dúvida, bom mesmo seria uma ten 660, mas acho que não vai dar, até p q depois as voltas seriam somente locais, rotas curtas e uso na cidade mesmo.

        • A observação sobre o conforto só “varia” no garupa, pois eu tenho 90 quilos, e acho o banco do piloto ÓTIMO. Mesmo em viagens de média distância (450km). Sobre reforçar o quadro, acho besteira de quem não tem o que fazer. Não precisa para andar com piloto e garupa, simples assim.

          Sobre a Ténéré 660, se puder comprar, compre, pois ela é um tesão de moto. Mas que a Ténéré 250 aguenta os 5 000 km, isso, com a manutenção em dia, eu garanto pela experiência com a minha.

          Abraço

  44. Olá ! Trabalho com motocicletas a algum tempo ,e possuo uma nx350 Sahara. Estou citando isto ,pois o Marcelo comenta sobre a manutenção da sahara ,sobre a moto ficar parada na garagem talves por não conhecer ou talves por não ter possuido uma.
    A moto em sí não quebra ,a não ser por mau uso,concordo em ser uma moto ja ultrapassada em tecnologia,mas a manutenção da mesma ainda é possivel. a minha é uma 1997 vermelha compreia com 47000 KM segundo dono, ela esta agora com 105000 KM ate o presente momento ,manutenção tem sido, troca de corrente de comando,acionador da corrente comando,discos de embreagem,pneus ,e óleo,a unica alteração na moto feita,foi a retirada do discompressor,pois ja estava com desgaste e apresentava ruidos no motor.
    Na minha opinião não existe moto ruin e sim proprietario ruim.
    Agora conforto ,beleza e desempenho ,são itens que o usuario deve ter em particular,Atualmente a honda tem deixado a desejar na qualidade dos seus produtos,o que esta dando uma vantagem muito maior para a Yamaha.
    Mas muita gente se esquece que na hora de gastar na manutenção da sua moto coloca peças do mercado paralelo devido ao custo ou ate da escaçes das Peças Originais.
    Apesar de Amar a Minha Honda Sahara nx350,Hoje meus Olhos estão Voltados para a Yamaha Tenere 250. Abração a todos.

    • Olá Edmax38,

      É normal que tem tem alguma moto citada em um dos textos sem ser endeusada, fique puto com o que escrevo. Moto envolve uma paixão difícil de explicar, por isso não me chateio.

      É óbvio que eu não tenho a moto, pois o texto que você leu e que você comentou diz isso de uma maneira bem clara, acredito eu. Antes de comprar uma moto, deve se fazer uma pesquisa, eu fiz sobre a Sahara e foi isso que consegui com as informações que encontrei. Nem sempre a gente acerta.

      Concordo em partes que não existe moto ruim e sim proprietário ruim, pois algumas motos tem problemas sérios de projeto, que mesmo um bom proprietário vai passar raiva…além dos casos onde a moto é boa e a assistência técnica é lamentável. Não adianta um bom proprietário, se o mesmo está sujeito a péssimos profissionais de reparação.

      Escassez de peças originais é um problema a ser levado em conta na hora de escolher uma moto, pois depender de peças paralelas não pode ser a única opção, pelo menos para mim. Por esse “risco” de não achar peças originais da Sahara, que desisti da compra.

      Esclarecimentos feitos, agradeço pela sua participação opinando no blog.

      Abraço

  45. Marcelo
    Peças Originais. Esse é um assunto que provoca discussões apaixonadas e muitas vezes muito bem arrazoadas. Mas a realidade muitas vezes também atropela a paixão e a razão. Veja um exemplo de peça da Ténéré 250 mesmo: disco de freio dianteiro. Preço na concessionária:R$ 277,50 – colocação (troca) na concessionária: R$ 100,00 – total: R$ 377,50. O mesmo disco no mercado paralelo, falo que é o mesmo, pois é made in China como o original e visualmente não apresenta nenhuma diferença de composição, como por exemplo: acho pouco provável que a liga de aço do paralelo seja inferior ao do original. Bem vamos ao que interessa, preço do disco paralelo: R$ 67,00 – colocação (troca) em oficina de alto padrão: R$ 50,00 – total: R$ 117,00. São R$ 260,50 de diferença, valor bem significativo. Os apaixonados dirão que não maculam suas máquinas com peças paralelas, outros apaixonados e cheios de razão vão dizer: isto é um risco para o condutor. Acho que todos tem razão, mas meu bolso e o fato de saber que as margens de lucro – lucro mesmo, não são os impostos os únicos vilões- das montadoras ( todas, inclusive as de carros) no Brasil são exorbitantes; fico nesse caso, com a peça paralela.
    Abraço

    • Olá Clever,

      Quero te parabenizar pelo seu comentário, pois você está correto e com bons argumentos. Quem quer por peça original, coloca, quem não quer, coloca paralela. Isso cabe a cada um e não é coerente discutir por isso. Eu já trabalhei em uma empresa que fabrica sensores de injeção para o mercado paralelo (ou de reposição) e por isso sei bem as diferenças que envolvem um item original de um supostamente igual, porém, de reposição. Por isso dou preferencia para peças originais, quando não tem um preço absurdo, claro…

      Abraço!

  46. olá pessoal, não vejo a hora que a cc me ligue falando que atenere 250 chegou e que posso ir buscar .Marcelo gostaria de saber se você mesmo amaciou o motor da sua moto e como devo proceder para amaciar o motor da minha, pois comentam que se não fizer um amaciamento correto a moto fica flouxa e mais gastona , como devo fazer? Obrigado ,Abraços!

    • Olá Vladimir,

      Eu comprei minha moto usada, peguei ela com 1400 km, então não precisei de me preocupar com isso. Minha opinião sobre o amaciamento é bem simples. Use ela NORMALMENTE. O segredo é não evitar usar rotação alta, evitar usar 100% do acelerador (os “manos” diriam “enrolar o cabo”) e usar sempre as marchas mais altas, que forçam menos o motor. O manual na página 5-4 tem uma série de recomendações, que se você morar em SP por exemplo, dificilmente conseguirá cumprir, pois o trânsito exige de você uma pilotagem mais apurada, com respostas rápidas. Ele diz para até 150 km rodados, não passar de 5000 rpm, depois até 500 km não passar de 6000 rpm e até 1000 não passar de 7500 rpm. Não vou nem comentar que não é recomendado chegar na faixa vermelha do conta giro porque eu mesmo nunca “consegui” esse feito. Se você sabe pilotar uma moto, tem o bom senso necessário para não fazer merda. Abraço e espero ter ajudado.

  47. Recebi minha Teneré novinha semana passada. Ela já passou dos100 km rodados. Estou gostando. Acho ela melhor do que a XRE 300. Gostaria de saber se é possível deixar a suspensão igual a da Lander, tanto no curso, como na maciez.

  48. Fiz o primeiro passeio fora do asfalto com a minha Teneré. Realmente a suspensão é muito desconfortável para rodar em estradas acidentadas. Estou pensando em adaptar a suspensão da Lander.

    • Olá Jefferson,

      Além do peso extra do tanque da Ténéré em relação a Lander, as suspensões da Ténéré tem curso reduzido em 20 mm cada. Obviamente a Ténéré não tem o mesmo comportamento no off-road da Lander. Adaptações desse tipo, eu não acho legal. Mas como a moto é sua, você sabe melhor que ninguém o que é melhor para ela e para você. O amortecedor traseiro é diferente entre Ténéré e Lander e não sei se dá montagem. No uso no asfalto, recomendo que regule a suspensão traseira o mais rígida possível, e que troque o pneu dianteiro por um na medida 90/90 (Metzeler enduro 3 ou Michellin Sirac) e ela vai se comportar melhor em alta velocidade na estrada, ficando mais estável.

      Espero ter ajudado.

  49. bom dia pessoal.ja estou com minha tenere e estou muito feliz com ela , agora estou na fase de amaciamento ,rodei até agora 150 km e não estou andando no centro da cidade optei por rodar no anel viario pois tenho como na 4 e 5 marcha chegar até os 5000 giros e diminuir e aumemtar a velocidade variando bem a velocidade espero estar fazendo correto pois é a primeira ves que amacio um motor e se alguel tiver alguma recomendação a mais eu agradeço .forte abraço a todos .

    • A unica recomendação é, evite deixar o motor funcionar em altas rotações nesse período, procure mantes sempre na 4ª e 5ª marcha, que deixam a rpm mais baixa. Fora isso, use normal e seja feliz.

  50. Galera achei o máximo todos os comentários e muito útil para minha próxima aquisição!!! Era pequeno quando meu irmão teve uma Agrale Elefante, lembram desse modelo? Achava a moto incrível, e nem sei quando ouvi falar a primeira vez TENÉRÉ!! MAS SEI QUE É AMOR ANTIGO, SONHAVA EM TER UMA, MAS ATÉ HOJE TIVE APENAS HONDA, TENHO ECONOMIAS E PENSEI ATÉ NA 660, MAS COMO PRECISO PRO MEU DIA A DIA ACABARIA COMPRANDO A 250! MAS OBRIGADO POIS SÓ RESOLVI APÓS WR OS COMENTÁRIOS E ME SENTIR EM CASA, SAI DESSA PARANOIA CHAMADA HONDA, DEI UMA VOLTA EM UMA LANDER E FIQUEI FASCINADO! TINHA MEUS MEDOS EM RELAÇÃO ÃO ALTO CUSTO DAS PEÇAS! MAS É SÓ LIGAR NAS CONCESSIONÁRIAS PEÇAS ORIGINAIS SÃO REALMENTE BEM MAIS CARAS! COMO NÃO FAÇO USO PARALELAS!!! OBRIGADO VOU SIM E VOU DE YAMARRA TENERE, MEU SONHO, MINHA PAIXÃO, MINHA VIDA!! OBRIGADO PELA AJUDA VCS ME AJUDARAM MUITO! VALEU MARCELO!!! OBRIGADO ESTOU FELIZ EM TER DECIDIDO E ESSE BLOG FOI DECISIVO! VALEU MESMO!! ATT: DF

    • Só acho importante frisar, apesar de gostar muito dessa moto, assim como qualquer outra, ela não é perfeita, logo, não vá “com muita sede ao pote”, pois pode se frustar. Entenda o que a moto pode oferecer e aproveite os passeios. Ela não é a melhor moto, mas está entre as mais acertadas nessa categoria, sem dúvidas.

      Abraço

    • OLA AMIGOS DA TENER 250 CC, EU TENHO UMA SO O QUE ME DIXA CHATIADO QUAN ESTOU ANDANDO EM ALTA ESCUTO UM BARULHO COM SE FOSE CORRENTE DE COMANDO SERA QUE E NORMAL, UM GRNDE ABRAÇO A TODOS….

  51. Obs! O Yamaha com dois rr no final não é erro de português não é um clube local! FicaM mais brasileiraS essas motos que SÃO SHOW! Abç

  52. Bom dia Marcelo Barros. Primeiramente, parabéns pelo blog. Sou um daqueles que esta em duvida sobre a TENERE 250 e a XRE 300, mas o que esta pegando pra mim é a questão de segurança (ROUBOS e FURTOS). Gostaria de saber vossa opnião sobre o RASTREADOR da ITURAN com SEGURO, uma vez que os SEGUROS convencionais são impraticáveis aqui na capital paulista. Grande abraço e novamente parabéns pela iniciativa.

    • Olá Eduardo,

      Se o que está te deixando em dúvida entre os modelos citados for índice de assaltos, descarte a XRE.

      Sobre o rastreador com seguro Ituran, eu acho bem honesto o valor praticado por eles.

      Abraço

  53. Olá Marcelo, sou eu denovo… Gostaria de ler um descrição sua a respeito das diferenças entre a TENERE 250 2013 e a LANDER 250 2013. Desculpe, sou leigo no assunto. Estou em dúvida entre essas duas motos. Desde já agradeço e parabens pelo blog. Att, Eduardo

  54. Olá Marcelo, sou eu denovo… Gostaria de ler um descrição sua a respeito das diferenças entre a TENERE 250 2013 e a LANDER 250 2013. Desculpe, sou leigo no assunto. Estou em dúvida entre essas duas motos. Desde já agradeço e parabens pelo blog. Att, Eduardo

    • Olá Eduardo, vou resumir em poucas linhas para tentar te ajudar.

      Vai andar sozinho ou com garupa? Se for sozinho pode ser qualquer uma, se for andar com garupa, prefira a Ténéré, pois é mais confortável.

      Quer uma moto com desenho mais atual? Escolha a Ténéré, pois as linhas da Lander são as mesmas desde 2006, mudando apenas o grafismo, além do fato que o painel da Ténéré é mais bonito e funcional que o da Lander.

      Vai andar na terra MUITO e sem garupa? Escolha a Lander, pois os pneus são mais OFF do que os da Ténéré, e o curso das suspensões é maior, logo, absorve melhor as irregularidade, a frente é mais leve que da Ténéré, o que facilita em caminhos mais complicados de passar. Porém, a Ténéré vai onde a Lander for, só que com mais dificuldade.

      Vai viajar com a moto? Escolha a Ténéré pelo conforto da posição de pilotagem, e do para-brisa, que no meu caso, eu substitui o original por um maior, pois sou muito alto e o para-brisa original não protegia muito.

      Os freios da Ténéré são considerados “menos borrachudos” que da Lander, pois os flexiveis do freio possuem malha de cobre.

      Está com pouca grana? A Lander é mais barata do que a Ténéré, lembrando que essa diferença de preço é porque obviamente a Ténéré oferece mais no “on” do que a Lander, situação onde 95% dos usuários utiliza a moto.

      Enfim, é isso, essas são as diferenças no meu entendimento. Espero ter ajudado.

  55. MARCELO BOM DIA.

    COMPREI UMA TENERE 250, GOSTEI MUITO, COMO ALGUNS DIZEM, É MOTO DE TIOZINHO. GOSTEI DO CONFORTO, DA BOLHA QUE DIMINUÍ A TURBULÊNCIA DO CAPACETE, MAS ACHEI MUITO REDUZIDA E O FREIO NÃO FREIA DO JEITO QUE GOSTARIA, ACHO MUITO BORRACHUDO, QUANTO A RELAÇÃO, MUDEI O PINHÃO DE 13 DENTES PARA 14 DENTES, ELA FICOU UM POUCO MAIS FRACA NA SAÍDA, MAS MELHOROU A VIBRAÇÃO DEVIDO AS ALTAS ROTAÇÕES DO MOTOR, AI VEM A PERGUNTA, UM AMIGO COMENTOU QUE ESSE AUMENTO DO PINHÃO IRIA PREJUDICAR O MOTOR, COMO EU ANDO TRANQUILO, SEM FORÇAR A MOTO, DEIXANDO ELA RESPONDER DENTRO DO LIMITE DO MOTOR, ESSA SITUAÇÃO PREJUDICARIA MUITO O MOTOR??. QUANTO AO CONSUMO NO ULTIMO PASSEIO ATE O SHOPPING SERRA AZUL, ELA FEZ 31 KM/L, NA MÉDIA DE 115 KM/H, ACHO QUE ESTA BOM.
    SEM MAIS OBRIGADO PELA ATENÇÃO.

    RUBENS LOPES – SP.

    • Olá Rubens, troque o para-brisa original pelo da marca Motovisor, que é maior. A minha está com essa peça maior e gosto bastante, principalmente quando tenho que usar outra moto no mesmo caminho, e a moto não tem proteção. Sobre o consumo, sim está bom, eu mesmo não cheguei nesse numero, minha melhor média foi 28,5 km/l.
      Sobre os freios, atente-se ao fato de que TALVEZ você não tenha o devido conhecimento sobre técnicas de pilotagem. Se fizer exercícios de frenagem em um curso, verá que o freio é bom, porém, eu também concordo que ele poderia ser menos progressivo, acredito que trocar os flexiveis do freio por modelos com malha de aço, podem melhorar a eficiência do conjunto.

      Abraço

  56. OK – OBRIGADO PELAS INFORMAÇÕES, PARA O CASO DA ALTERAÇÃO RELAÇÃO, TROQUEI O PINHÃO DE 13 DENTES POR UM DE 14 DENTES, FICOU MAIS LONGA, COM MENOS VIBRAÇÃO, NESSE CASO VOCE ACHA QUE PREJUDICA O MOTOR. O QUE VOCE ACHA?

    • Eu esqueci de responder sua principal dúvida, desculpa!

      Eu acredito que se você não anda beirando a faixa vermelha do conta giros da Ténéré, não tem problema nenhum. Mas me diz, com essa modificação, você não perdeu torque nas arrancadas, tipo saída de semáforo?

      Abraço

      • SIM, PERDEU UM POUCO, MAS TAMBÉM NÃO PRECISO FORÇAR A MOTO PARA SAIR FORTE, ESPERO QUE ELA SUBA O GIRO DE ACORDO COM O TORQUE DO MOTOR. NA VELOCIDADE DE DE 120 KM/H, ELA ESTA COM 7.000 RPM ( APROXIMADO ), FEZ MÉDIA DE 31 KM/L NO ULTIMO ABASTECIMENTO, DETALHE, ELA TEM AGORA 1.500 KMS RODADOS.

  57. Ola pessoal, hoje eu e minha esposa fomos para Serra Negra na tenere 250, minha esposa chama ela de terere , andamos 150 km para ir e 150 para volta, na ida estava com o vento contra e estava forte mas não atrapalhou em nada , ao reduzir para passar no pedágio disse a minha esposa que o vento estava forte e ela me disse que nem parecia que o vento estava forte, pois acho que a bolha desvia bem o vento,outro detalhe é com relação ao banco fizemos uma parada com 90 km rodados pois não estamos ainda acostumado com este banco eu senti um desconforto na parte inferior das duas coxa e minha esposa na parte superior das coxa , com relação ao desempenho do motor achei muito bom , principalmente por estar com garupa não ultrapassei os 8000 giros e nem cheguei ao final do acelerador pois ela esta agora com 700 km,Marcelo, gostaria de saber sobre esse banco da ere que o pessoal comenta ,se é realmente confortável e se você ou outro colega ja testou este banco. Abraços.

    • Olá, eu não testei esse banco, apenas li relatos na internet de pessoas que gostaram, porém, creio que esse banco ere compense mais no caso da Lander, no caso da Ténéré acredito que a diferença será muito pequena, que talvez não justifique o investimento.

      No uso que faço com a Ténéré, o banco tem me agradado.

      Abraço

  58. Ola pessoal,minha terere esta com 1700km e estamos curtindo muito a moto e os passeios,fomos para Serra Negra ,Pedreira,Monte Sião,Holambra e outras cidades e tambem em Jaguariuna onde vimos uma estação de trem com uns barzinhos e maria fumaça ,achamos muito legal e vamos programar um passeio nessa maria fumaça.Marcelo,vimos a falta que faz um bau na moto,pois ao chegarmos nos destino temos que ficar com as jaquetas levando pra la e pra ca é muito ruim pois gostaria de saber qual bagageiro é melhor o da roncar de chapa ou da scam que é de aluminio pois o bau ja escolhi é o da shad modelo sh 40 c/ bagageiro superior .agradeço pela paciencia ,Abraços :

    • olá Vladimir,

      Vou pedir a ajuda dos outros amigos, leitores do blog, pois eu não tenho bagageiro na minha, lutando contra a necessidade, que concordo plenamente com teu ponto de vista, pois acho que a ténéré fica “feia” com bauleto.

      Tenho amigos que tem o scam e gostaram, mas sei que o roncar tem como acessório o afastador para bolsas laterais. Se pensa em viajar com mais bagagem.

      Vamos aguardar se alguém te ajuda, opinando sobre qual seria o melhor bagageiro.

      Abraço!

  59. Na minha opinião o melhor bagabeiro é o da Roncar, só o bagageiro mesmo sem os suportes para bolsas laterais, além de ser mais sóbrio e com alças para o garupa que substituem as originais da moto.É feito todo em chapa de aço cortada a laser, é bonito e ultra resistente. O único cuidado deve ser tomado na colação do mesmo,
    devido ao corte a laser, arranha com muito facilidade a parte da moto que entrar em contato inadvertidamente durante a instalação. O ideal é que seja colocado por duas pessoas para evitar esse aborrecimento – um posicionando a peça cuidadosamente e outro colcando os parafusos de fixação. Concordo contigo Marcelo, bauleto não combina com nenhuma moto, principalmente a Ténéré, mas é um mal necessário. Tenho um de quarenta litros que deixo guardado e só acoplo quando há necessidade. Espero ter ajudado. Abs.

  60. Ola, Clever muito obrigado pelas dicas ,gostaria de saber sobre este suporte lateral para bolsa que voce citou, pois eu tenho um jogo de malas da texx modelo 09 e se eu colocar este suporte quando eu for fazer uma viagem mai longa não vai dar certo? ou seja só colocarei ele quando for para longa distancia onde terei que levar roupar para passar mais de um dia, pois acho horrivel bagageiro, bau,e ainda mais os suporte lateral,mas como ja sabemos é um mal necessario.Aguardo,retorno,Abraços:

    • Olá Vladimir, Só uma sugestão, pense na possibilidade de adquirir uma mala de tanque. É uma opção interessante para quem quer levar muita bagagem, sem sobrecarregar a suspensão traseira, o que pode interferir na estabilidade da moto. Abraço!

  61. Vladimir
    O suporte da Roncar a que me referi tem duas opções: um normal, o que sugeri no texto e inclusive tenho em minha moto, e outro com suportes para bolsas laterais rígidas, tipo bauletos laterais, não sei se são como as suas, confira. Vá no Google e digite Roncar para entrar no site. Já nele digite à esquerda da página marca e modelo da moto e ele já te encaminha direto para as opções disponíveis.Caso decida comprar vá no site da Supermoto ( busque no Google tb.) que é igualmente confiável e vende produtos Roncar mais barato que o site da fábrica. Espero ter lhe ajudado.Abs. Clever

  62. Valeu mesmo Cleber e Marcelo pela ajuda, irei verificar sobre suas dicas e retornarei para falar a respeito, Abraços .

  63. Olá, senhores! Saudações..Muito legal os postes. Esse blog é em alto nível. Pois bem , tenho grande interesse em adquirir uma Ténerê 250 Yamaha( essa areia, acho linda), no entanto já observei em conversa com amigos e lendo as experiências vividas neste blog. Uma certa moleza da Yamaha para vender seus produtos. Ao menos aqui em Salvador, Bahia. É uma grande burocracia. Enquanto que a ronda lhe possibilita maior agilidade para adquirir seus produtos. Sinceramente é muito mais fácil comprar a XRE ao invés da Ténerê. Será que é isso mesmo ou é apenas impressão? Forte abraço, caros amigos!

    • Olá Luis, tudo bom?

      Por que chamou a honda de “ronda”? Ultimamente vejo muita gente fazendo isso, e ainda não entendi o porque.

      Sobre seu questionamento, a resposta é simples. A Honda tem a maior rede de concessionárias do país, e em segundo lugar a Yamaha. Mas é importante lembrar. Não se pode comparar as motos, apenas pelo tamanho da rede autorizada. Esse fator apenas torna mais comoda a vida de quem comprar uma Honda, quando precisar de manutenção e de peças, e só. Pesquisar muito e tentar andar nas motos é o melhor caminho para uma compra consciente.

      Abraço

  64. Ola Luis eu tambem gostei muito da tenere na cor areia é muito linda e até parece que a moto é maior que as outras tenere, espero que voce compre logo e curte bastante, Abraços.

  65. Bem senhores, minha Teneré já está completando 2000 km rodados. É interessante registrar aqui meu ponto de vista depois de quase dois meses com essa máquina. Seu ponto forte é, sem dúvida, economia de combustível e autonomia. O consumo médio sempre fica em torno de 27 a 28 km/l . É bastante ágil e fácil de conduzir entre os carros. Recomendo que verifiquem a pressão dos pneus e a regulagem da suspensão traseira. A minha veio com quase 40 lbs em cada pneu e com a suspensão traseira muito dura chegando a dar dor na coluna. Retornei à concessionária e eles aliviaram a tensão da mola que envolve o amortecedor. Com essa correção e com a pressão dos pneus dentro do que recomenda o manual, a moto ficou bem mais macia. Ouvi muitas críticas sobre o fato do freio dianteiro ser borrachudo. A moto que comprei não tem esse problema. Muito pelo
    contrário. Seus freios são muito bons. A única coisa que incomoda um pouco é a vibração do motor quando rodamos acima de 100 km/h numa rodovia. Acredito que é porque ainda não me acostumei.

  66. Senhores, um relato! Hoje fui a concessionária Yamaha. E subir pela primeira vez na ténerê..Rapaz, que conforto, viu! Tenho uma XTZ 125 fiquei até com vergonha( brincadeira). Mas a princípio tenho uma dúvida; comprando na cor Areia. Será que no futuro terei dificuldade para passar ela. Será que é só eu e VLADIMIR que gostamos dela nesta COR? O quê vocês acham?

    • amigo, eu comprei branca, primeiro porque achei bem legal(aquela com o tanque em preto, e não aquele vermelho horrível. Segundo porque eu também tenho esse “receio” de comprar uma cor que no outro ano “pode” sair de linha e quando eu precisar de peça da carenagem, tenho um puta trampo para conseguir “no mesmo tom”. Com ela branca, qualquer branco resolve…hehehe

      Abraço

  67. Ola Luis ,o mais importante é você comprar a cor e o modelo que você ira ficar satisfeito, pois independente da opinião dos outros o que vale é você estar feliz ,e não pense na hora de vender e sim no tempo em que você vai ficar com ela ,pois tera mais prazer com a cor e o modelo que você escolheu . Abraço a todos.

  68. Marcelo
    Uma batidinha na suspensão dianteira da Tenere 250 2011, quando bate em alguma lombada ou buraco na pista, tenho lido em fóruns na web que é um problema da flauta da suspensão dianteira. E quem trocou, mesmo na garantia se arrependeu, disse que a suspensão dianteira ficou meio boba ou muito dura após a troca. A mim sinceramente não incomoda e não interfere na dirigibilidade da moto. Acho que se fosse um problema sério que colocasse em risco o usuário, a Yamaha faria um recall. O que você acha? Abs. Clever

    • cara, estou pesquisando exatamente sobre isso, pois minha moto, quando estou a 120km/h dá umas osciladas com a frente, que estão me deixando preocupado. Já me passaram algumas soluções para tornar ela mais estável nessa situação. Estou avaliando e pretendo postar isso para ajudar outros proprietários. Como comprei usada não sei se foi ou não feito esse “recall branco” da bengala.

      Abraço

  69. Caros amigos, esta é minha primeira participação aqui. Este blog é quase um fórum, de tão bom! Vamos à minha história…
    Meu nome é Carlos, moro no Rio de Janeiro, tenho 45 anos, 1.84m de altura, peso 101kg, mas investindo para retornar aos 90. Assim como o amigo Milton Jr. acima, comecei tarde minha vida de motoqueiro, aos 37 anos (vamos deixar a discussão motoqueiro/motociclista para outro blog, por favor). As 10 aulas na motoescola foram numa Honda Strada 200, e assim que recebi a carteira, comecei a procurar por motos usadas na faixa das 250cc. Acabei comprando uma Yamaha TDM 225 ano 98, com 10 mil km, e esta é até agora a única moto da minha vida. Hoje ela está com 75 mil km. A moto é EXCELENTE! Pouco conhecida (talvez alguns aqui nem tenham ouvido falar, mas ela é irmã da XT 225, apenas com outra roupa e outra roda dianteira), nunca fiz seguro dela, e paro tranquilo em qualquer vaga de rua (com a devida trava de disco, é claro). Uso de segunda a sexta para ir ao trabalho, 40 km por dia ida e volta. A disposição dela parece não ter mudado nada em 8 anos de uso diário. Continua andando bem. Apenas o consumo caiu de 33 para 29 km/l, talvez por conta da última revisão. Minhas relações costumam ser duradouras. Meu primeiro carro foi um Chevette 90, e fiquei com ele por 16 anos e 300 mil km sem abrir o motor! Há dois anos troquei-o por um Logan, mas este é outro blog.
    A razão de eu estar aqui é porque estou (quase…) decidido a trocar de moto. E como a maioria aqui, caí neste bendito dilema Teneré/XRE, incluindo a Falcon na disputa. E já digo a vocês que o maior ponto contra a Yamaha, na minha experiência, é justamente a assistência técnica. Aqui na cidade do Rio eu acho a Yamaha pouco presente. Moro na Ilha do Governador e trabalho no Centro. Enquanto a Honda tem 11 concessionárias com oficina (incluindo uma no Centro), a Yamaha tem 7, e destas, só 3 a menos de 20 km de casa ou do trabalho (uma em Laranjeiras, uma na Tijuca e uma na Penha). As outras ficam longe demais (Barra, Campo Grande, Jacarepaguá). Já fiz várias manutenções nas autorizadas de Laranjeiras e Tijuca, e não saí feliz nenhuma vez. A TDM saiu de linha em 2005, e acho que por conta disso, já não se encontra peças básicas em pronta-entrega (como o magneto, regulador-retificador ou cabo de velocímetro, por exemplo). Por incrível que pareça, já por duas vezes eles me orientaram a procurar peças no mercado paralelo, pois a original, só por encomenda, com 30 dias de espera, no mínimo. Talvez em SP o prazo seja menor. E como eu vou procurar peças SEM a moto? As oficinas paralelas nunca têm peças (mesmo de motos mais novas), e se nem a autorizada tem, como eu fico? Este é o único motivo para desanimar da Yamaha, mas penso ser um forte motivo. Por conta de um problema na parte elétrica, a moto me deixou na mão no meio da Avenida Brasil (graças a Deus estava engarrafada e saí fácil da enrascada), e até descobrir o verdadeiro problema, fiquei um mês sem a moto e troquei regulador-retificador, magneto e bateria.
    Os pontos que vejo a favor da Teneré são beleza (eita moto bonita!), autonomia, altura e farol duplo. É, eu acho isso importante. Acredito que dá mais visibilidade à moto. Mas pelo que li, é um farol baixo e outro alto. Pergunto aos amigos se dá pra botar alto e baixo nos dois, de preferência xenon. Outro ponto a favor é o botão de farol, retirado da Honda (inclusive da nova Falcon). Ora, eu não posso ligar a chave sem querer ligar o farol? Sob o argumento da segurança eu vejo uma economia porca. E o seguro eu soube, por aqui, que Yamaha sai mais barato. Vocês podem me dar uma noção de preço, por favor?
    Vou parar por aqui porque o texto já está bem longo. Parabéns, Marcelo, pelo blog, e parabéns a todos pelas colaborações.

  70. Senhores, Boa tarde!
    Tenho 33 anos, ando de moto desde “18 anos” já tive honda e optei pela yamaha por volta de 2002 devido ao grande indice de roubos. (passei alguns sufocos em São Paulo), Comprei uma TDM 225 como a do amigo Carlos Nóbrega e foi ai que me surpreendi com a marca. Ná época eu trabalhava como motoboy e cheguei a rodar em 4 anos 130 mil Km só fiz o motor devido a quebra do bloco do motor em um acidente (só quebrei o dedinho do pé). Hoje tenho uma tenerézinha 2012 para me deslocar trabalho/residência, acabei de fazer o seguro pela Ituran que instala o bloqueador com seguro da Mafre por R$ 1.400,00 ano.
    Espero ter ajudado!
    Abraços!!!

  71. Olá pessoal, Carlos eu tambem fiquei em duvida entre a xre / tenere e até fui varias vezes nas duas concessionarias junto com minha esposa para testar somente com a moto parada pois eles não deixa andarmos nela ,tive que verificar em qual estacionamento tinha e ai consegui andar para ver qual era a que eu mais gostace pois a minha esposa ja tinha escolhido para ela seria tenere e após andar nas duas comprei a tenere e não me arrependo ,hoje instalei nela o bagageiro de chapa da roncar ,o bau shad 40 litros cargo e o protetor de pernas com pedaleira pois são itens que para uma viagem ajudam muito tanto para mudar a posição das pernas para relachar e o bau para guardar roupas de chuva ,jaquetas etc…ficou ótimo melhor do que eu esperava pois não sou fã de bau mas tambem deu mais conforto para minha esposa poi ela apoia a costa no bau ,vou ver se consigo tirar umas foto s da motoca com os acessórios para o pessoal do blog ver e tambem estou testando um spray lubrificante da Hp para correntes pois quero ver se não uso mais graxa é horrivel após os testes comentarei ,Abraço a todos:

  72. Sou mecânico de moto a 10 anos e digo pra vocês a honda tem regre adido muito em questão de qualidade e durabilidade de seus motores ja começa pela 125 fan 00/08 as valvulas e os guais são mais finos e as travas de valvula… meus deus! escapa pois se desgasta precocemente ja ganhei muito dinheiro por causa dessas travas a 150
    tem rolamentos menores pela potência do motor deviam ser mais resistentes estouram facil e o kit pistão e aneis se desgasta as vezes ja com 50 mil rodados nos 70 ja era e as lançadas em 2012 o disco de embreagem se acaba facil ja troquei discos com 10 mil rodados rsrsr porcaria, e o cambio é o pior todos que desmontei estavam com a engrenagem da terceira marcha corroida pronta para se esfarelar e levar o restor do motor com ela
    a twister tirando o insistente vazamento na tampa de valvula o motor é reforçado no resto raramente vai dar defeito roda mto
    mas a suspenção em geral é horrivel todos sabem
    ja tive duas 150 honda zeras mais esperava mais dela essa é a moto que hoje me da mais dinheiro kkk por um lado isso é ótimo não compro honda até que saia melhoras em seus produtos quanto a yamaha só melhorou raramente tenho concertado motos de lander faser são otimos não vasam e não vejo desgastes precoce no pistão e anéis hoje eu compraria um honda só se foru uma falcon isso é moto duravel e perfeita em tudo boicotem a honda pois eles não pensão mais em faser motos duraveis de baixa cilindrada e enquanto isso vou consertando e faturando kkkkk

  73. Galera,comecei a pagar um consorcio da tenere 250 hoje ,em breve estarei na estrada com meu trovão azul. Alias, tenho uma bros 150cc 11/11,e uma boa moto mas para o meu dia dia já deu o que tinha que dar. valeu

  74. Oi para todos. Sou um feliz proprietário de uma tenere 250 branca 2011. A moto está com 26.000 kms e, até agora, só fiz manutenção básica, ou seja, troca de óleo, filtros, pastilhas e pneu traseiro. Recomendo a moto a todos. Já fiz diversas viagens com ela (Farol de Santa Marta (SC), Prado e Itacaré (BA), Paraty (RJ), São José do Rio Preto (SP) e Visconde de Mauá (RJ), a partir da cidade de São Paulo, onde resido. A moto sempre se comportou muito bem. Um dos motivos que me levou a adquirí-la foi o valor do seguro (por volta dos R$ 1200,00 pela Porto Seguro). Não dá para ter moto Honda em São Paulo, pois o seguro é caro e são muito visadas. Tenho um amigo que diz que as asas da honda são porque ela acaba voando sozinha e você termina sem moto! Com relação ao banco original da tenere 250, digo que é duro que nem pedra. Uma hora e meia em cima da moto e seu traseiro já está latejando. A solução foi trocá-lo por um do Pedrinho Bancos aqui de São Paulo, um verdadeiro artista com mais de 30 anos de experiência. Ficou muito bom e até um pouco mais baixa. Outro porém da tenere 250 são os pneus. No asfalto são uma beleza, na terra são OK, mas no areião e na lama …. a coisa fica preta. Quase comprei uns terrenos na Bahia por causa disso. Não é uma moto para correr. Se andar acima dos 120 km/h (no velocímetro), o consumo na estrada cai para 20 km/litro. Na cidade e andando tranquilo, a tenere está fazendo uns 28 km/litro. Os faróis vem regulados de fábrica mirando na lua. Tive muitos problemas até descobrir como é fácil regulá-los. O câmbio também não é dos melhores. Tem dia que o ponto morto custa a entrar. Resumindo: é uma moto honesta, robusta, com baixo custo de manutenção e confortável (se trocar o banco). Vale cada centavo. Recomendo a todos (maiores de 1,75). Tanto é que vou vender essa e comprar outra tenere 250 zero.

    • Muito legal sua estória! A minha é igual a sua, mas ainda está com 9000km. Sobre o banco, penso que para o piloto (eu peso 90 kg) é ótimo, e para o garupa, dependendo do peso, é ruim. Minha esposa tem 65 kg e acha bom, mesmo em viagens, e eu na garupa com meus peso não suportei 50 km rodados…

      Sobre o comportamento do pneu na lama e na areia, é assim mesmo, pois ele não foi feito para essa aplicação. Simples assim.

      Abraço!

  75. Muito legal o blog e os comentarios, concordo totalmente, gosto eh gosto e vai saber porque a gente gosta de uma moto quando todo mundo gosta de outro modelo, melhor, mais novo, moderno etc etc etc… pois eh, meu caso, eu curto muito o visual da Lander, nessa faixa de cilindrada, nao penso em outra moto, estou para pegar uma azul 2008, de um vizinho, unico dono 20mil rodados… to chorando pra baixar o valor se ele chegar em 7,5 eu fecho… mas nem penso na tenere, nao que ache ela feia, so acho ela com um ar pesado, nao sei dizer, o estilo mais off me passa liberdade.. enfim, gosto eh gosto :)

    • Falou tudo, gosto é tudo. A Ténéré é mais “requintada” e confortável que a Lander, que é um pouco mais áspera na tocada. Acredito que com a Ténéré se consiga fazer 95% do que se faz com uma Lander, e com o seu lançamento, o projeto da Lander ficou datado, pedindo por uma atualização estética, porque funcionalmente é sim uma grande moto.

      Sobre a moto que quer comprar, sugiro que compre uma que tenha o sensor de oxigênio no escapamento, pois o sistema é mais eficiente, logo, mais economico que o modelo que não tem esse sensor. Acredito que a 2008 não tenha e apenas de 2009 em diante. Verifique isso, pois a diferença a médio e longo prazo vale o investimento.

      Abraço!

  76. Pingback: Ténéré 250 2014 | MotordoMundo·

    • Depende. Se você procura custo-benefício, vai de Ténéré, que não vai se arrepender, agora se dinheiro não for problema para você, pode ir de Falcon, pois o maior problema da Falcon para mim é exatamente o preço pedido pela Honda. Salgaaaado. Lembrando que com a grana que tu paga na Falcon, tu compra a Ténéré e equipa ela todinha e ainda paga o seguro. Pense nisso também,ok?

      Abraço

  77. amigo, antes de mais nada muito obrigado na sua resposta!
    Como são as coisas, existe uma falcon 400i 2013 ao preço mínimo de R$ 15 200,00 , com 2900km, e o dono não tira nem mais um centavo, e hj recebí uma ligação que chegou já aqui no rj a tenere 250 modelo 2014 a R$ 13 490,00, a diferença realmente é pequena, o que me faz balançar e muito, entre uma 400 e uma 250 cc. parece incrível eu já tinha me decidido pela tenere depois do seu comentário justo logico e racional, logo em seguida o vendedor da falcon me ligou, me dando o ultimo valor, serio mesmo bater um pênalti é difícil, ainda mais que não estou comprando nada de uma loja de 1,99.
    Um fortíssimo abraço, e nem preciso comentar a respeito da ajuda que vc vem dando a esse monte de pessoas envolvidas com motos, PESSOAS COMO VC É QUE FAZEM O MUNDO RDAR MELHOR !!!

    • Cara, vou te dar outro toque sobre a Falcon, em relação a versão carburada, o comportamento obviamente é mais linear e ela não morre quando você faz acelerações bruscas, repentinas. As respostas, mesmo com alguns cavalos a menos, são muito similares. Um detalhe que não me agrada nela é que a bomba de combustível, assim como na XRE e Bros, é externa. Mas isso é algo pessoal. Eu prefiro bomba de combustível dentro do tanque, pela questão do melhor arrefecimento da mesma. Se quiser entender melhor o que estou dizendo, leia o post sobre que fiz, falando sobre a bomba, mas na Bros, clicando AQUI! E sobre a Ténéré, eu passei a minha no dinamometro, se quiser ver a minha análise sobre o desempenho dela, clique AQUI! A Falcon, no dinamometro apresenta 26 cv de potência e 3,1 kgf.m de torque, respectivamente, 46% e 72% a mais que na Ténéré. Essa diferença na prática, só vai fazer efeito quando estiver na estrada, viajando com garupa. Na cidade, não se percebe.

      Outro detalhe, você sabe por que ele está vendendo a moto assim, tão nova? Suspeite até da sua sombra amigo, como tu disse, não está comprando na loja de R$ 1,99. Estou apenas te ajudando nas informações que tenho acesso, a decisão é responsabilidade sua.

      Abraço e seja sempre bem vindo aqui no blog. =D

  78. prezado amigo!
    Acabei de chegar da loja da Yamaha, onde já fechei a minha Tenere 250 já com o modelo 2014, o azul ,é mais escuro e as partes cinza claro que compõe as orelhas do farol agora são escuras iguais a tenere 660,e assim ela ficou mais agressiva e os adesivos com o nome tenere deu uma valorização no tanque!
    enfim! ponderei tirar uma coisa zero na loja a comprar algo que alguém já usou, mesmo que 2900km, como era o caso se eu pegasse a falcon.
    Estou é apavorado com o preço do seguro da tenere aqui no rj capital, dois corretores me passaram entre 3200 a 3500 reais, um deles de minha confiança, ainda não fechei o seguro mas acho meio que loucura arriscar perder 13 490,00.
    Agradeço muito mesmo as suas opiniões que com toda certeza foram de grande valia para a minha escolha, a falcon nova poucos conhecem e o pedigree da tenere pesa muito, e só escuto falar bem !
    caso precise qq coisa aqui no rj estou aqui para atende-lo com muito prazer!

    • Cara, não precisa me agradecer, apenas me envie no motordomundo@gmail.com fotos mostrando os novos detalhes da moto, inclusive do painel, pois estou curioso e por aqui ainda não chegou! =D

      Sobre o seguro, sugiro que verifique se por ai a Ituran não trabalha. Eles tem um rastreador com seguro, e a Ténéré está entre as opções por R$ 1.400,00. Um amigo tem na Fazer dele e não teve nenhuma queixa sobre o produto/serviço. (claro, ele também não foi roubado para saber como procedem…) Clique aqui para acessar o link do site deles e se informar melhor. Já são quase R$ 2.000 a menos que o seguro que tu viu.

      Abraço e curta bastante sua moto. Querendo conversar sobre ela, estamos por aqui!

  79. Estou apaixonado por esta moto. Tenho 1,85, peso 100 Kg. Minha esposa pesa 60 Kg. Seria muita carga para a moto os 160 Kg? Pergunto em relação a resistência estrutural (quadro, etc.) e em relação ao motor (vai agüentar “puxar”?). Obrigado.

  80. Complementando minha pergunta anterior, o peso vai deixar a moto muito fraca, sem desempenho, xôxa? Obrigado.

    • Olá, tenho 85 e minha esposa 70, já viajei até Curitiba com ela + bagagem e a moto aguentou, sem “chorar”. Claro. O desempenho é comprometido pela relação peso/potência se comparado a pilotar sozinho, sem bagagem, porém, ficou dentro do que considero aceitável para não passar raiva na estrada. Abraço

  81. Muito obrigado e parabéns pelo blog. Logo estarei comprando a minha e volta aqui para comentar…

    • Olá Fernando, não quero parecer chato, mas me sinto na obrigação de informar novamente. Tudo que escrevo aqui é baseado na minha experiência pessoal e no conhecimento que adquiri sobre motos. O que me agrada e é bom para mim, pode não ser para você. O que deve ser prioridade no momento de escolher a moto é o quanto pretende gastar, o uso que pretende fazer da moto e se o estilo lhe agrada. Eu apenas estou ajudando 5% nessa conta te informando como dono de uma Ténéré o que achei dela. O resto é contigo, ok? Abraço! =D

  82. ola, tenho visto os comentários e até o momento só elogios para a T250, No momento tenho uma Bros 150, mas no final do ano quero trocar por uma T250 ou uma XRE 300, e tenho uma dúvida, em termos de conforto a tenere é melhor que a xre 300? Se alguem ja andou nas duas qual as impressões? estou com muita duvida na compra mas os comentarios serão determinantes na minha escolha, obrigado…

    • Antes de mais nada, sugiro que faça um test-ride nas duas. Já pilotei as duas, e creio que a Ténéré oferece mais prazer ao pilotar pelo seu conjunto. A XRE também é bem confortável, talvez até mais (andei menos na XRE, que na Ténéré), mas analisando o conjunto, creio que a Ténéré oferece melhor custo-benefício.

      Abraço

      • muito obrigado pela resposta, pra mim o conforto de uma moto é indispensável, de inicio eu tinha muita vontade de comprar uma XRE mas depois que eu vi a tenere me apaixonei por ela acho que não vou me arrepender de adota-la srsrs

  83. Tenho outra duvida esqueci de colocar na primeira pergunta, caso eu queira colocar um baú na motoca mesmo que seja roncar, eu preciso colocar algum tipo de reforço no quadro? pois ouvi falar que pode trincar? é verdade? obrigado, abraços….

    • Uma das diferenças entre XRE e Ténéré é que a trail Honda já vem com bagageiro. Eu não gosto de bauleto, acho que a moto fica feia, além do fato de interferir na distribuição de peso negativamente, principalmente com garupa. Quero comprar bolsa de tanque (pesquise sobre esse produto, é bem interessante, porém, não serve para deixar na moto, quando estacionada na rua. Sobre o bagageiro na Ténéré. Sei que a Yamaha comercializa um modelo original para ela. O Roncar parece ser bem resistente e tem o Scam, que é de alumínio e tem um desenho parecido com o da XRE.

      Sobre trincar, a resposta é simples. Se você por mais peso que o permitido, pode acontecer, se respeitar o peso máximo permitido (o manual da moto tem esse dado) não terá nenhum risco.

      Abraço e espero ter ajudado.

  84. olá , excelente discussão essa!!!!
    tive uma yamaha fazer por 1 ano e meio , excelente moto!!!! aí resolvi trocar por uma teneré 250 , acho uma moto linda , e pelas pesquisas que fiz seria uma excelente moto!!! realmente é uma excelente moto , nao dá pra negar , mas sair de uma Fazer e ir direto pra tenere é complicado…….pelo menos no meu caso achei os freio muito inferiores….na Fazer os freios respondiam que uma beleza!!!! na tenere os freios deixam a desejar……………outra coisa é que apesar de ter o mesmo motor , minha teneré parece bem mais fraca ……..imagine uma moto sem 1a marcha……..começando com a 2a…..e terminando com a 6a…..é assim que sinto……..alguem mais sente isso???……….a unica grande decepção que tive com ela , foi saber que para tirar o banco é preciso desparafusá-lo………isso é absurdo!!!! hehehehe
    grande abraço!!!!

  85. Também já tive as duas e não achei o freio da Ténéré inferior, acho até um pouco melhor. Quanto a performance, sem dúvida a Fazer anda mais, porém é mais visada pelos ladrões ; e para fazer ‘trail’ nas ruas onduladas e esburacadas do Rio de Janeiro, acho a Ténéré mais segura.

  86. Amigos, comprei minha ténéré usada 2011-2011 hoje e viajei 300km até em casa. O banco é horrível de duro, mas já vi que tem o da erê pra resolver o problema. Mas estou aqui pra outra coisa, a moto falhou na estrada na subida da serra. Estava puxando legal, indo muito bem, até que deu pane elétrica e me deixou na mão. Antes de comprar pesquisei que algumas tnr falavam a parte elétrica quando superaquecia e que tinha algo pra ser feito que resolvia isso. Fato é que agora que descobri na prática que a minha foi uma dessas contempladas com esse problema, não acho mais esse texto e não sei o que fazer para resolver. Pretendo viajar novamente ainda em setembro e não quero ter de parar no meio da viagem para esperar o motor esfriar para continuar a viagem. Alguém aí sabe a solução desse problema? Ah! No resto, em tudo o restante, a moto é show. Abraços e obrigado.

    • Cara, não tenho conhecimento desse problema, revise o sistema de ignição da sua moto, pois esse tipo de problema (esquenta, a moto para, esfria, a moto pega) é ignição…

      Já vi algumas ténéré que morriam direto, porém, quando pesquisei, a manutenção não estava em dia…

      A minha morreu apenas 1 vez em 10 000 km rodados, incluindo 2 idas ao Paraná (1000km ida e volta), e isso foi antes da revisão de 10000km que eu já tinha agendado. Ela segue sem problemas. Quando acontecer algo, eu posto aqui.

      Abraço

  87. bem vou saber depois mas comprei uma tenere xtz 250 .. zerooo..muito feliz,.. espero ter sorte com ela .. e nao me arrepender

    abracos

  88. tenho uma dúvida sobre um dos comentários, assim, gostaria de saber sobre a regulagem de altura da moto no ato da compra, se por exemplo dependendo da regulagem se a moto fica mais macia ou mais firme ou não tem nada a ver? abraços…

    • Calma Ricardo, você está confundindo regulagem da pre carga do amortecedor traseiro com altura do assento. Uma coisa não interfere na outra. Para reduzir a altura do assento é necessário substituir uma peça de fixação do amortecedor, e na concessionária Família Yamaha, localizada no Ipiranga, em São Paulo, SP.

      Sobre a pré carga é simples. Se o amortecedor estiver ajustado para pouca carga e você colocar muita carga (piloto pesado + garupa + bagagens) a moto oscila nas irregularidades, principalmente nas curvas. Por isso é necessário ajustar a pre carga de acordo com o seu uso. O inverso, ser um piloto leve, que não anda com garupa, nem bagagem, se tiver a pre carga ajustada para muito peso, ira ficar muito dura, dando “trancos” ao passar por irregularidades no solo, ficando desconfortável a pilotagem. Por isso a importância de tal ajuste.

      Espero ter ajudado.

      • Ajudou muito mesmo agora entendi, tiro muitas duvidas aqui até comprar a minha fico sempre lendo perguntas e respostas, obrigado.

  89. olá amigo !
    eu sou o carlos brandão que te enviou a primeira foto da tenere azul 2014 lembra?
    estou com a moto a um mês e pouco, e estou maravilhado com a moto.
    só uma coisa tem me incomodado, qdo acelero repentinamente ou de uma só vez, ela faz um barulho meio estranho no motor (tipo saia de pistão), já fui na autorizada e o mecânico disse que é assim mesmo, j´a fui no melhor mecânico aqui do bairro ele disse que é normal, mas com franqueza é um barulho que demonstra fragilidade no motor, tipo uma mibilete. já tentei gasolina aditivada, comum, a premiu da petrobras e nada, serio mesmo se esse barulhinho agudo é normal a Yamaha ta vendendo xilofones com rodas, o amigo já escutou algo sobre isso, afinal a moto está com 580 km e está enchendo meu saco esse barulhinho. No aguardo e na espera de comentários a respeito agradeço ao amigo e aos participantes do fórum.
    carlosbrandaorj@gmail.com

    • Cara, o motor dela gera sim um ruído, por conta do pistão forjado e do revestimento do cilindro em nikasil. Porque tem esse ruído? Porque a folga é obrigatoriamente maior que nos motores convencionais, e o benefício é dissipar melhor o calor gerado pelo motor, tornando se assim mais eficiente, e econômico no consumo. A vida útil do conjunto pistão/cilindro é muitas vezes superior a um conjunto comum, como por exemplo, da XRE 300.

      Voltando ao barulho, é assim mesmo…eu ainda não descobri uma forma de reduzir esse ruído. Coloquei o Motul 5100 na revisão de 10000km e “acho” que o ruído reduziu, mas só acho…

      Com o seu comentário, tive a ideia de fazer um novo texto sobre a moto, afinal, já a comprei…

      Espero ter ajudado. Abraço!

  90. Ola, boa noite.

    Não conheço tudo isso de motos, mas hoje fui na concessionária, e dei uma volta em uma teneré, 2010. Apaixonei total. Fora que minha esposa que também amou.
    Tenho 1,80, peso 105kg. Minha esposa tem 1,70, e pesa 70kg. Atualmente temos uma factor 2010/2011, e nos incomoda muito, ela ser fraca, e ficar sempre ‘pegando’ em buracos e lombadas, se passar a mais de 2km/h com ela na garupa. rsrs

    Outra coisa que me incomoda bastante, é o trepidar dela “fora o barulho esguelado” quando estou na rodovia. Em uma hora andando a 100km/h, chego a perder a sensibilidade nos dedos da mão esquerda, de tanto que ela trepida. Por isso, o comentário sobre trocar o pneu, me chamou muito a atenção. Embrao acredito que não deve nem se comparar, a factor 125 com a teneré 250 nesse quesito.

    Gostaria de tirar algumas dúvidas, se não for incomodar:

    Porque essa moto não tem versão com rodas de liga? Não manjo nada de rodas, então fiquei curioso de saber. Eu andei sofrendo com câmaras de ar, e resolvi meu problema, colocando pneu sem câmara. E daí, fiquei curioso, pra colocar nela, mas vi rodas de aro, e fiquei mais curioso ainda.

    Com relação a bolha, com minha altura, será que vou precisar colocar uma maior?

    Com relação a manutenção, especificamente o híbrido, qual a probabilidade/frequência em que talvez eu venha a ter um problema com isso? Confesso que fiquei assustado com o valor. Ando apenas asfalto, e uma vez por mês rodo uns 100km na dutra.

    Só mais uma …

    Estava querendo colocar um bauzão nela, mas minha mulher me perguntou: Nossa como eu vou subir, se já tá dificil subir sem baú, imagina com baú ?! Há algo que eu possa explicar a ela para para tranquilizá-la?

    De mais, acho que é só. Você mencionou que a honda, está lançando um modelo 300, que poderia ser rival, já saiu? Você indicaria outra pelo meu perfil?

    Enfim, desde já, muito obrigado pela atenção …

    Obs.: Ótimo blog …

    • Mensagem grande amigo!

      Vamos lá! Em relação a Factor, é comum que ache a ténéré maravilhosa.

      Sobre o pneu, a troca do 80/90 pelo 90/90 é para melhorar a estabilidade em alta velocidade. Para mim, funcionou.

      Sobre o barulho, a Ténéré possuí um ruído, que aumenta acima de 5 000 rpm, e em alta velocidade, voce irá perceber que a moto pede uma sexta velocidade, que não tem, pois o motor fica ainda forte quando se acelera ao máximo, em quinta marcha. Isso pode incomodar, mas você acostuma.

      Sobre rodas de liga leve, nada haver nesse tipo de moto, pelo uso que é feito. Apenas a BMW G 650 GS tem roda de liga leve, mas a BMW logo lançou a versão sertão com roda raiada.

      Sobre o hibrido, não sei a probabilidade. Eu já rodei 10 000km com a minha moto e não deu problema…

      Sobre o bauleto, eu não gosto e na minha não tem. Isso não influirá para sua mulher subir, até porque a altura do assento da ténéré em relação a facotr não permitira que ela tente subir “passando a perna”, então ela terá que se acostumar a subir na moto se apoiando nas suas costas. É questão de costume.

      Velho, não sei onde citei o tal modelo 300. A Honda tem a XRE 300, mas eu prefiro a Ténéré.

      Espero ter ajudado.

      Abraço

      • aproveitando o gancho , qual marca do pneu 90/90 vc colocou??? eu sei que tem um michelin , mas é caro pra burro!!!
        e aproveitando tbm pra falar sobre aros , eu to pretendendo botar aros de aluminio estilo a xre na minha………liga leve nao rola , mas de luminio fica show!!! …………..

        • Olha Guilherme, estou usando no momento o Levorin Matrix. Mas ainda rodei pouco para dizer se recomendo ou não,ok?

          Sobre os aros de alumínio, se tiver grana sobrando, manda bala! Eu quero fazer essa troca, para melhorar a relação peso-potencia dela também.

          Abraço!

      • Muito obrigado pela atenção.
        A moto era a CRF 250L, mas agora já li tanto que entendi a parada toda … rsrs

        Enquanto eu não troco a moto, li nos comentários que colocar um óleo diferente diminuiu o barulho e deixou o câmbio mais macio. Funciona isso na factor ? Em caso afirmativo, qual óleo você recomenda ?

        • Sim, a CRF 250L, porém, já pilotei essa moto e não tem NADA haver com a Ténéré. É moto para andar sozinho sem garupa e sim, se divertir bastante, mas não serve por exemplo para pegar estrada pelo seu pneu muito off-road.

          Sobre o óleo. “Cada caso é um caso”. O que um dos leitores falou é sobre o motor da Ténéré, que tem aplicação de nikasil e as folgas são muito pouca coisa maiores que nos motores sem esse recurso. Na sua moto, nenhum óleo vai mudar o barulho de estar usando o motor no limite, pois isso é o que está acontecendo na prática. O que posso recomendar, se ainda estiver usando o óleo recomendado pela Yamaha, o Yamalube, é usar um óleo semi-sintético com a mesma viscosidade (20W50), ou pouca coisa menor (15W50, 10W40), lembrando de escolher um óleo com classificação de desempenho equivalente a do Yamalube, ou seja, API SL. Na ténéré estou usando o Motul 5100 10W40.

          Só se lembre que essa lenda de trocar o óleo a cada 1000km é burrice, provavelmente espalhada por motopeças ou distribuidores do tal produto, pois troco nas minhas motos no intervalo do manual e elas seguem em perfeito estado, basta checar o nível do óleo periodicamente, e se baixar, completar com o mesmo tipo. Evite a todo custo misturar óleos diferentes no seu motor, isso é como veneno para ele.

          Espero ter ajudado. Abraço

          • Com certeza ajudou muito.

            Na realidade, eu pensei no óleo, não para diminuir o barulho, mas para deixar o cambio mais macio. Como saber se meu câmbio está com problemas? Estou com 18.000km, e acabei de trocar o kit relação, mas a marcha continua dura. É assim mesmo ?

          • Teste um semi-sintético como eu disse. Sobre o cambio, problemas são apenas quando ele “enrosca” entre marchas, se está apenas não tão suave, pode ser óleo de motor velho ou incorreto para sua moto.

            Abraço

  91. Guilherme, caso aceite uma sugestão para pneu 90/90/21, como dianteiro da Ténéré, recomendo o Viper da Maggion. Estou rodando há 4.000 Km com o meu e posso lhe afirmar que não fica devendo a nenhuma grande marca. A história foi assim: por recomendação do Marcelo do blog, comecei a procurar pelo Metzeler, só que fui em três lojas e não encontrei e a única coisa que sabia dele era o preço pois havia pesquisado na web. Quando na quarta loja o vendedor me ofereceu o Maggion pela “metade” do preço do Metzeler. Não titubeei, mandei ver e conforme relatei não me arrependo. Sem falar da economia não planejada que acabei fazendo.Espero ter ajudado. Ab.

    • Creio que cada caso é um caso, pois tenho um amigo que colocou esse mesmo pneu maggion para a ténéré e odiou. Só lembrando, ande com os 2 pneus do mesmo modelo, pois assim, terá melhor eficiência dos mesmos.

      Abraço!

  92. Marcelo, o desenho do Viper Maggion é o mesmo do Scorpion da Pirelli. E vou te dar uma opinião sincera sobre pneus de qualidade: Michelin. Na hora de trocar os dois vale a pena gastar um pouco mais e optar por essa marca.Não tem pra Pirelli, Bridgestone, ninguém. Em todas as minhas motos sempre tive duas versões da mesma moto, a primeira com os pneus originais e a segunda com os pneus Michelin, o que pretendo ainda viver com minha Ténéré quando vencerem o Viper dianteiro e o Scorpion traseiro, que por enquanto estão fazendo uma ótima dupla.Ab.

    • Como eu disse, cada caso é um caso, dependendo do uso que você faz, você achou muito bom. Sobre o perfil do pneu ser igual, este é apenas 1 dos pontos a serem analisados. Lembrando que não estou defendendo marca nenhuma, até porque estou usando Levorin…
      Sem um bom composto da borracha, o grip(aderencia) pode variar, a deformação “programada” nas curvas pode ser maior ou menor que o necessário, interferindo na funcionalidade e/ou na durabilidade do mesmo. Um pneu inicialmente mais caro, quando analisada a sua vida útil (quase sempre maior) em relação ao mais barato, pode na realidade ter “o mesmo custo”, pois roda-se muito mais km com ele, antes de ter que gastar novamente. Pense nisso também.

      Abraço!

  93. valeu pelas respostas galera , vou pesquisar mais um pouco sobre pneus e daí postos minha decisão!!!

    galera , essa semana , ao lavar minha tenere , percebi que ao ligar o motor , existe um furinho no cano de escape, na parte de baixo , que espirra uma agua , o que causa manchas na estrutura da moto , bem ali onde tem o adesivo YAMAHA , é só comigo isso????

  94. Ola, gostaria da opinião de quem andou nas duas.
    no caso tenere 250 e na XRE 300, quais as impressooes ao andar nas duas pontos negativos e positivos, pois estou perto de comprar a minha e digo ainda estou com duvidas já que aqui não encontro um test – drive em nenhuma das CC nem da honda e nem da yamaha. Agradeço antecipadamente a opinião de vcs seram muito importante para mim…obg!

  95. fala ricardo ,
    vou tentar te ajudar , porque eu tive essa duvida faz uns 3 meses!!! acabei escolhendo a tenere.
    Eu andei pouco na xre , mas é uma moto muito boa , te passa uma sensação de “moto grande” , tem uma potencia muito parecida com a tenere. Se vc puder andar numa xre por mais tempo , testar freios , suspensão etc , será melhor. Eu acabei optando pela tenere por outros motivos . Achei o preço mais justo , ja gostava da yamaha porque tinha uma Fazer , acho o acabamento da yamaha melhor.
    São duas excelentes motos , qualquer uma que vc escolher nao deve se arrepender , mas te garanto que a tenere é uma moto que vc nao vai ter do que reclamar!!! ajudei ou atrapalhei??
    abrassss

    • olha guilherme estava com um amigo que quer comprar uma xre 2013 e ele foi direto na oficina da CC ( duas CC aqui em fortaleza e perguntou a dois mecânicos um de cada CC) e os dois relataram que o motor 2013 ainda esta com problemas de cabeçote, valvular e trinca, mesmo com algumas modificações, ele saiu com um balde de água fria parece que ele vai comprar também uma T250 incrivel como uma moto desde 2009 e não resolveram esse problema. Abraços…

  96. Ola moçada ja tive um bocado de motos de Honda de cg 125 importada ate uma 7 galo file, tive agrale tambem e um monte de cg e hoje to com uma Tenere 250 ano 2011, ela tem toc toc na suspensao, ela tem o freio meio borrachao tbm tem ela acelera e o motor parece maquina de costura isso aih mesmo, mas a minha eh macia o banco não eh duro rodo no minimo 500 km por semana ja rodei com ela 15 mil depois que comprei e gosto dela e se for para trocar vou tentar a xj6, no mais gente estamos falando de moto nacional se quer conforto compre um Corola ou algo assim moto toma vento, moto voce se molha, moto vc toma banho das carretas, leva pedrada na cara, mas eu amo andar de moto e se quizerem comprar aTenere 250 pode comprar que eh boa e eu agarantiu que nem o sujeito da tv.

    • ola Jorge tudo bem!! Me diz uma coisa, como é o conforto em relação ao garupa, alguém já reclamou, e a moto em si é muito confortável? abraços…

      • Olá Ricardo, sobre o conforto do garupa. A posição é boa, por conta da posição da alça e do assento ser em dois níveis, porém, se o garupa for pesado, com 90 kg, como eu, rodando 100 km ele já vai querer descer. Se for um garupa leve, com até uns 75 kg, não sentirá esse incomodo. Em resumo, se tivesse uma espuma mais densa, seria bom para qualquer tipo de garupa.

        Espero ter ajudado.

  97. Passei por toda esta porra que vc falou. Mas descidi apostar da Sahara 99 (ultimo ano) acertei na megasena. òtima moto. se não encontrar peça para ela é só pedir da falcon. Corre mais que a falcon ou xre pois tem 6 marchas. E estou com 2 anos com ela utilizando todos os dias o que mais caro que gastei foi com pneus, pois de manutenção dela não passou de 200 reais até hoje. SAHARA SEMPRE

  98. Ola amigos,
    Sou novo no forum e li praticamente desde o inicio as duvidas dos amigos na categoria 250/300c
    Minha opiniao é que todas tem pontos fortes mas os amigos tem que escolher sua moto testando e andando. Vejo que muitos estao escolhendo sua moto com base nas opinioes de foruns, acho errado, podemos tirar duvidas, saber tendencias mas nao existe escolha virtual.
    Estou na segunda XRE 300 e para meu uso se mostrou a melhor da categoria, na primeira vista é macia ate demais, estranha no começo, ciclistica exelente, o ABS ja me salvou 2 vezes. Li muitos comentarios sobre problemas mecanicos mas na minha opiniao todas as motos lideres de vendas nas suas categorias tendem a apresentar concentracoes de problemas pela quantidade de unidades em uso, acho que é proporcionalmente normal… Lembro aos amigos que ´são apenas minhas conclusões, mas a variedade disponivel faz com que cada um ache a sua,
    Um abraço

    • Olá Leopoldo, você está correto. Todas as informações disponíveis aqui no MotordoMundo e em qualquer outro lugar devem servir como ajuda na pesquisa da próxima moto/produto/serviço que irá investir.

      Abraço

    • Leopoldo , também estava com muitas duvidas entre essas duas a xre e a t250 mas durante algumas pesquisas inclusive nos foruns, me assustei com a xre sobre o inúmeros problemas no motor, então resolvi ir pessoalmente em duas CCs aqui de Fortaleza, fui nas oficinas e para minha surpresa os próprios mecânicos da honda de duas CCs diferentes me informaram que as 2013 ainda estão dando muitos problemas no cabeçote, tinha intenção de pegar uma XRE mas resolvi pegar a t250 mesmo, acho que as duas tem qualidades boas, abraços…

  99. olá Leopoldo , vc tem razão sim!!!! o ideal é pilotar o modelo que se deseja comprar , mas em alguns casos não é possivel ……..algumas concessionarias nao autorizam , ou nao temos conhecidos com o modelo que queremos….
    os fóruns são apenas para podermos ter uma opinião a mais.
    Obviamente temos que entender que cada caso é um caso. Todo modelo de moto vai apresentar algum problema .Mas tanto na compra da minha Fazer 2012 , como da minha Tenere 2013 , os foruns ajudaram bastante!!!! Mas com certeza , pilotar o modelo é fundamental!!!!!

  100. Questões estéticas à parte, se fizermos uma análise na proposta da moto veremos q a moto oferece mais por menos. Começando pelo cilindro forjado, revestido com cerâmica q aumenta consideravelmente, motor forte e econômico, banco mto confortável, excelente autonomia por causa de seu tanque grande de combustível. Eu gosto mto de motos big trail, se tivesse condição compraria a Suzuki DL650 VStrom, q eu acho lindona, porém o mais próximo da realidade, q lembra uma big trail é a Teneré250.

    • Não preciso comentar que concordo contigo grande Marlon… ops, já comentei! Ela está longe de ser perfeita, mas pensando no custo x diversão, está bem agradável… =D

      Abraço

  101. Outra coisa boa da XTZ 250 TÉNÉRÉ, é que ela não é “visada”. pelo menos no estado onde vivo Bahia. não sei nos outros.

  102. Perdão a todos por não ter me apresentado…

    Meu nome é Amos, é um imenso prazer estar com todos vocês aqui no motordomundo!!!

    Estou iniciando no mundo das duas rodas e gostaria da opinião dos mais experientes… estou em duvidas entre a Bros e a ténéré, a xre descarto por não ter condições de pagar um seguro, motos honda é muito visada em minha região.

    Aí fica opção da BROS(dá para pagar um seguro) e a TÉNÉRÉ(não é visada em minha região, o índice de roubo é praticamente “0”) … por eu ter 1,80 de altura e quase 90 k, acho a ténéré perfeita para mim… porem alguns me recomendam a bros, argumentando que 250 cc é perigosa para iniciantes.

    Gostaria de saber a opinião dos demais.

    Um grande abraço para todos

    • Olá Amós, eu publiquei um texto dizendo o porque de eu não ter comprado uma Bros. O motivo permanece, e hoje é somado a questão de que piloto muito com garupa e sou pesado, com 90 kg. Logo, preciso de uma moto com maior capacidade de carga, e que não sofra muito com garupa. Tenho um amigo que comprou a Ténéré 250 antes mesmo de ter terminado o CFC e foi normal. Perigoso é comprar uma moto e não fazer um curso de pilotagem.

      Entre Bros e Ténéré, sem dúvidas Ténéré. Você pode até começar com uma Bros, mas recomendo que compre usada, para pagar barato, pois vai querer trocar logo que estiver dominando ela. Pode anotar.

      Abraço

  103. “Entre Bros e Ténéré, sem dúvidas Ténéré.”

    É assim que penso, devido o meu porte físico.

    Obrigado meu caro, o seu comentário foi de grande importância para mim.

    Abraços

    • Lembrando sempre. Tente pilotar as motos antes (as duas). Talvez ache a Ténéré arisca inicialmente em relação a outras motos, mas se acostumará no primeiro dia pilotando ela. Outro detalhe, leve as opiniões que te passam, como a minha, apenas como uma ajuda para a sua própria opinião. Não compre porque alguém falou “compra que é bom”, pois o que é bom para mim, pode não ser para você, por exemplo. Pense nisso e procure fazer uma compra consciente.

      Abraço

  104. Prezado Amós ,
    Minha opinião não será muito diferente dos demais , mas faço questão de tentar ajudar hehe.
    Primeiramente , acho que a comparação entre a Bros e a Teneré é muito desigual e nem deve ser feita.
    Quem compra uma Bros , compra por gostar da Honda e querer uma moto de baixa cilindrada que nao seja uma CG……..
    A teneré já fica em outro patamar , 250 cilindradas , mais forte , mais robusta , tecnologia Yamaha , acabamento Yamaha , além de ter um otimo custo benefício. Ela pode ser polêmica , não é perfeita , mas 99% das pessoas que experimentam a Tnr 250 aprovam!!!!
    Quanto á sua preocupação por ser iniciante , te digo que aquela peça que está em cima do banco é a principal responsável por acidentes . Se for para fazer alguma besteira , a moto pode ser de 100 , 125 , ou 1000 Cilindradas. Mas se voce possui algum receio , ande um pouco com motos menores até pegar confiança , depois vc experimenta a TNR 250 . Boa sorte na sua escolha e na sua vida em 2 rodas!!
    abraço

  105. Um amigo me contou que sempre tinha vontade de ter um moto de media cilindrada… por escutar as opiniões dos outros comprou uma Y BR 125(a mesma conversa de sempre, iniciante etc.)… Ele me disse que foi a pior besteira que fez na vida dele.. pois não se sentiu satisfeito com a moto.. não pensou duas vezes em vender a moto para comprar outra. vendeu e comprou a TWISTER 250… Só que nessa troca, teve o maior prejuízo disse ele… ele me disse: Amós se Vc tem vontade de ter uma moto de media cilindrada…. compre logo de primeira, se não só vai perder tempo e dinheiro … foi assim comigo…

    Ele me aconselha a comprar uma de Media cc, e ficar rodando pelo bairro no minimo 3 semanas p/ conhecer e domar a moto.

    Pela experiencia que tem, tanto com motos como no prejuízo rsrsrs… a opinião dele também é de grande importância para mim…

    Não gosto de fazer coisas p/ depois me arrepender

    Abraços

    • Ninguém gosta de fazer coisas e se arrepender amigo.

      Sugiro que se informe aonde tem curso de pilotagem defensiva na sua região. Assim que comprar a moto, faça esse curso e aprenderá a controlar a sua moto com segurança.

      Abraço

  106. Olá amigo, você fé uma bela aquisição, tenho amigos que possuem essa moto, e todos me garantem que a moto é muito boa e mais, ela tem um consumo muito melhor dique a fazer 250.
    Parabéns

  107. Pergunta de iniciante: essas motos da decada de 90, tipo Honda cbx aero 150 ou mesmo Honda nx 200, encontra-se facilmente peças/pneu de reposicao para elas ? To querendo uma moto nao visada pra ir e voltar da faculdade, na distancia de 50 km ida e volta / dia. OBRIGADO. Att. Marcelo

    • Olá,

      Não recomendo. Motos muito velhas você pode até improvisar com peças de outras motos, mas painel é muito velho, motor é muito velho (e problemático). Enfim, compre uma Titan 150 carburada, 2005, por exemplo, que vai pagar barato, e vai fazer o que precisa tranquilo. E já não tem “assédio” de ladrões, pois já tem muitas motos mais novas (e visadas) que ela nas ruas.

      Espero ter ajudado.

      • parece que vc leu minhas intencoes: É JUSTAMENTE ISSO QUE PROCURO, moto barata e que seja o menos possivel visada. recomenda essas dafra, suziki, kansas ?

        • Depende cara. Moto é algo muito relativo. Quanto você pretende gastar? Quanto pesa e qual sua altura? Vai andar com garupa?

          Hoje estou entre Honda e Yamaha, principalmente se for usada. Mas como eu disse, depende. Tem gente muito satisfeita com outras marcas menores.

          Abraço

          • oi, amigo, eu de novo te aporrinhando… tenho 1.80 e 74 kg. basicamete vou utilizar a moto apenas eu, ou seja, sem garupa, para ir e voltar da faculdade, que fica em sao bernardo do campo-sp, a mais ou menos 31 km da porta da minha casa. tenho 8 mil pra gastar, porem de nada adiantara eu pegar uma novinha da honda e ser assaltado. tava pensando em pegar uma usada antiga, como uma honda nx 200, ano 1994, ou ainda, uma aero cbx honda, me falaram bem ate da suziki intruder a ete a tal dafra … mas eu nao tenho opiniao formada em materia de moto mesmo. obrigado. att. marcelo.

          • Cara, eu procuraria uma Yamaha XTZ 125 usada, mas não muuuuuito velha. Ou a Dafra Riva 150. Não compraria nem a pau estas motos que você citou. Como eu já disse, são muito velhas, vão te dar muito mais dor de cabeça do que a preocupação com furto. Voce vai ouvir sempre algum louco dizendo que são ótimas e etc. Eu recomendo, ainda mais que voce disse não entender muito sobre moto, que compre uma mais nova, senão, uma 0 km. Se já tiver habilitação, vá até uma concessionária Dafra e peça para fazer um test-ride com a Riva 150, para conhecer.

            Espero ter ajudado.

          • yahaha xtz 125 a partir de que ano ? essa riva tanto a xtz dao muito oficina ? das 2 qual seria a melhor opção, tendo em vista que ouço muita gente reclamar de assaltos a motos. obrigado

          • cara, sinceramente, esta questão de roubo hoje, vale muito mais para as motos de maior cilindrada, que tem um valor agregado muito maior. Mas, também é importante dizer que um ladrão gosta de pouco trabalho, logo, pode roubar até mobylete velha, se estiver vacilando na rua.

            Entre as duas motos, a XTZ (a partir de 2009) é melhor, pelo curso da suspensão, que vai absorver melhor a buraqueira paulista. Sobre dar oficina, é relativo. Se você for zeloso, dificilmente estas motos vão dar defeito.

            Só um detalhe, não use a minha opinião como a sua escolha final. Ela deve ser apenas mais um ponto a analisar. Vá até as concessionárias, suba na moto, pergunte um monte de coisas ao vendedor ( e obviamente, ignore metade, pois será pura propaganda) e faça sua escolha.

            Espero ter ajudado.

  108. Pra mim a traseira pode ser resolvida com a lanterna de led e um bagageiro bacana =)

    Meu único medo ao pegar a Ténéré é A MINHA altura. Tenho 1.65m e a moto 865mm de assento. Meu pai tem uma XRE 300 que tem 860mm e tenho um pouco de medo de pilotar.
    Mas estou apaixonado na moto e quase arriscando a compra mesmo com o “problema” de altura hehe

    Grande abraço.

    • Camarada, eu não sei de onde você é, mas em São Paulo, SP, na concessionária Familia Yamaha (http://www.familiayamaha.com.br/home/) tem uma peça que eles trocam na suspensão que abaixa a altura do assento, sem alterar o curso da suspensão. A redução, segundo Marcelo, o gerente, é de aproximadamente 10 cm. Uma mudança que pode ser o que você precisava… o preço da peça (incluindo a instalação) é algo próximo de 300 reais. Recomendo!

  109. Prezado Marcelo, boa tarde! me identifiquei com vc quanto ao gosto pela Ténéré 250. Quando mais jovem… lá pelos anos 90 tive minha primeira Yamaha, uma RX 180, um tesão de moto.Em 98 me casei e … acabei vendendo a motinha e separando-me das duas rodas até o ano de 2010, onde mostrei a minha digníssima esposa que era mais viável trocar um dos carros por uma moto, pois as despesas para manter dois carros estavam ficando meio sem controle. Fui a uma concessionária Yamaha (claro… paixão antiga) e comprei uma YBR Factor 125. Outro tesãozinho de moto. Super confortável e muito econômica. No segundo semestre de 2010 a yamaha lançou a Ténéré 250 e comecei a paquerá-la, mas como ainda estava apaixonado pela Factor 125, não me se sentia tão atraído pela Tétézinha, mas com o passar dos meses, comecei a ficar incomodado com a 125. Primeiro: falta de potência, Segundo: desconforto ergonômico pois tenho 1,80 de altura e atravesso o Rio de Janeiro todos os dias pela av. Brasil. de Campo Grande (Zona Oeste) a Botafogo (Zona Sul)… com a ténéré, mesmo com os itens de serie, minha vida mudou. A tensão nos ombros que sentia causada pela alta pressão do vento no peito, acabou e a posição na pilotagem, é indescritível de tão boa. No momento a única alteração que tenho pensado em fazer na moto, é a troca do banco da moto por um que é fabricado aqui no Rio pela Erê… ainda não me sentei em nenhum, mas tem uma KTM 690 Rally no estacionamento do prédio que trabalho que tem um banco desses e me parece muito confortável.
    A Ténéré 250 é uma ótima escolha para moto do dia a dia e para pequenas aventuras. Pratico voo livre, e a Ténéré 250 sempre me leva onde quero e preciso sem dificuldades e com muito estilo. Diferente sim, feia jamais!!!
    Deixem os aficionados pela Honda continuarem a endeusar a XRE300, assim o seguro da minha XTZ 250 Ténéré continua sendo mais acessível. Forte abraço,

    Gustavo

    • Sábias palavras Gustavo. E refletindo sobre a escolha da Ténéré, antes mesmo de pilota-la, penso que foi pelo seu design original, que não é copiado de outras motos. Talvez isso tenha (e continua) agradado.

      Abraço!

    • Gustavo, eu moro em Niterói e estou pensando em pegar a tenere 250, quanto você paga de seguro na mesma?

  110. Olá Campeão! Tudo bem contigo? Espero que sim! Tenho pesquisado bastante nos últimos dias( youtube, blogs, fóruns) sobre motos de 300cc e 250cc, Honda X Yamaha etc e tal. Acredito que vou parar por aqui, pois realmente encontrei um texto com opinião de usuário NÃO “tendencioso”, livre e limpo. PARABÉNS pelo blog!
    Estou conhecendo mais sobre o ”mundo em duas rodas” e a cada dia me apaixono mais! Sinceramente desejei de cara a XRE 300, mas a insatisfação de muuuitos proprietários, valor do seguro alto e roubos, fizeram com que eu buscasse uma outra ”alternativa” e por isso passei a olhar e pensar em outras possibilidades e para outras direções. Fui apresentado a XTZ 250 Lander, onde pesquisei com a mesma disposição da primeira, e vi que estava diante do meu ”passaporte” para o mundo em duas rodas. O namoro foi inevitável rsrs. Mesmo assim, continuei em busca daquele ”algo mais” e não parei de procurar por uma outra possibilidade. Encontrei um vídeo sobre a XTZ 250 Ténéré, que me levou para outro vídeo, e outro, e outro…e de tanto ler também em blogs, cheguei aqui!
    Com a mesma sinceridade, achei a Ténéré feia de dar dó, mas ela não saía da minha cabeça. Xonei na Ténéré e passei a olhá-la com outros olhos.
    Já liguei para concessionária da minha cidade mas não tem nenhuma disponível no momento, porém, está para chegar nos próximos dias e eu vou poder decidir a cor e subir na lindona! Preço: R$ 14.300,00 (está na média ou está cara?)
    *Só não perguntei nada sobre seguro e emplacamento.
    Vou ficando por aqui. Grande abraço e sucesso!
    Alexsandro Cavalcanti – PAULO AFONSO/BA

    • Olá Alex, esse texto já é velho, mas fiz ele da maneira mais transparente possível. Hoje tenho a moto, que atingiu 20 000 km rodados no feriado da Páscoa. As únicas coisas que eu, Marcelo, penso que poderiam ser melhores são o desempenho (no dinamometro, ela tem 18 cv, e a xre tem 21 cv, potência que acho ser ideal para qualquer tipo de uso, com e sem garupa), o ruído em alta rotação poderia ser menor (.gerado por conta da aplicação do revestimento cerâmico no cilindro, que aumenta a durabilidade do conjunto em muitas vezes, se comparado a um comum, como o da XRE), mas estou usando protetor auricular (não só por isso, mas pelo ruído gerado pelo vento em alta velocidade no capacete) então não me incomodo, e os freios são considerados por muitos progressivos demais, ou “borrachudos”, mas isso tem explicação bem plausível, a calibragem é feita para uso misto, e na terra, um freio muito potente vai travar a roda com muita facilidade e prejudicar seu desempenho (e segurança), a XRE por exemplo, tem um freio mais eficiente, porque foi calibrado para o uso mais urbano, principalmente na versão C-ABS. já comprei os flexíveis de malha de aço para instalar e ver se melhora um pouco. Em alta, você vai perceber que se o câmbio fosse de 6 marchas, ou com um escalonamento em que a 5ª fosse mais longa, seria perfeito. Mas não é… e isso não dá para corrigir, mas dá para se acostumar, alias, nenhum dos pontos que citei é crônico, e dá para conviver numa boa.

      Trocas que fiz: Coloquei um parabrisa maior (da Motovisor) que é muito bom, pois tenho 1,85m de altura e garante conforto na estrada (a XRE não tem essa proteção aerodinamica), instalei pedaleiras maiores (da OXXY) pois gosto de andar nela em pé, e na terra isso é obrigatório, assim, aumentei a area de apoio, aumentando o conforto, troquei a medida do pneu dianteiro de 80/90 (original) para 90/90, com isso ganhei estabilidade em alta velocidade (onde ela parecia ficar com a frente muito leve, instável), sem influenciar quase nada a agilidade no trânsito travado. Coloquei o bagageiro de alumínio Scam na cor preto, que combina bem mais com a moto, parecendo original, do que o cinza. Estou usando o óleo Motul 5100, que acho ótimo, muuuuuito superior ao Yamalube. Rodo os 5 000 km do manual sem medo.

      Em comparação a XRE, a posição de pilotagem dela é mais confortável, e você se encaixa melhor na moto. O assento da xre é pouca coisa mais confortável, e para o garupa que não é muito pesado o assento é bom (com mais espuma, ele seria bom para qualquer peso de usuário). O desempenho da Ténéré é mais baixo, porém, ela vai aonde a XRE vai, e na estrada a diferença real é mínima. Com melhor desempenho, a Ténéré rodaria em uma rotação menor, tendo menos ruído e melhor consumo. Apesar de ter apenas 2 válvulas, contra 4 do motor Honda, a Ténéré tem o melhor motor, mais robusto e duradouro, analisando pela tecnologia aplicada. No conjunto da obra, a Ténéré é mais “requintada” do que a simples esteticamente XRE, que peca por não ter relampejador do farol. Mas gosto não se discute.

      Sobre o preço dela 0 km, por que não pega uma seminova? O custo-benefício vai aumentar MUITO, lembrando que ela já vai vir emplacada (são mais uns 500 reais que terá que gastar com documentação da moto, além do valor pedido por ela na concessionária). Pense nisso.

      Bem, espero ter ajudado com essas novas informações, baseadas na minha experiência como usuário da Ténéré e de já ter pilotado por muitos kilometros a XRE. Qualquer nova dúvida, estamos aqui.

      Abraço!

  111. Olá,

    Antes de tudo quero agradecer pelo Blog, de longe o melhor sobre a Ténéré 250 que encontrei.

    Minha primeira moto foi uma DT180 2 tempos quando eu tinha 18 anos e a mesma parou pois a tampa do motor rachou e depois de meses aguardando a peça na autorizada sem sucesso, me frustrei e vendi a mesma, ficando uns 10 anos sem moto.

    Atualmente possuo uma Bros 150 2006 carburada com 66.000 rodados (comprei zero) que me acompanha a longos 8 anos, onde a mesma apresentou poucos problemas.

    Atualmente sinto a necessidade de uma moto mais potente, tenho 1,80 e 105Kg e a Bros já está cansando…

    Gostaria que tivesse no mercado uma moto com motor de 200cc porém como não existe, acabei me interessando pela Ténéré.

    Quanto a Ténéré, gostaria de saber qual a faixa de consumo da mesma, valor de IPVA (com o seguro obrigatório), valor de seguro aproximado e valor de manutenção, tipo peças e revisões (para ter um comparativo em relação a Honda).

    Obrigado.

    • Caraca Piter, ai você me complica pois são muitas informações.

      O dpvat é o mesmo para qualquer moto do Brasil, o IPVA não lembro (mas é uma % do valor da moto, para todas as motos). O consumo da minha está em 25 km/l, mas não poupo o acelerador e peso 90 kg.

      Se gosta da Ténéré 250, acesse o facebook do blog, pois posto sempre algo lá que acontece com a minha Ténéré. http://www.facebook.com/motordomundo

      Abraço

  112. Ola Marcelo, gostaria de informar que esse blog foi muito importante para a minha escolha, enfim comprei a minha laranja mecânica (T250) e tenho três duvidas 1ª: o ajuste que eles fazem na pre carga para deixar a moto mais dura influi no conforto? 2ª eu peso 98kg e minha esposa 70kg eu preciso colocar reforço no quadro mesmo que queira colocar um bagageiro? 3ª tenho que pedir logo de cara na CC para ajustar o farol? obrigado, abraços.

    • Ricardo, veja o limite de carga da Ténéré 250 no manual do proprietário, some o seu peso e o peso da sua garupa EQUIPADOS, e veja se não excede o limite de carga da moto. Não reforcei a minha, mas também não carrego a casa nela, pois já ando próximo do limite de carga quando estou com garupa. Lembre-se: em motos de baixa cilindrada, quanto menos peso, mais a moto “respira”. Tudo que puder evitar carregar nela, evite. A moto agradece e você curte.

      Respondendo as perguntas

      O ajuste da pré carga tem influencia direta na estabilidade, principalmente em curvas. Isso é questão de segurança, e não influi quase nada no conforto.

      O peso somado meu e da minha garupa equivale, e não mexi em nada disso. Lembre-se de carregar na moto apenas o essencial.

      Não precisa pedir logo de cara o ajuste do farol. Eu digo para solicitar esse ajuste, pois está comprando a moto, então é bom aproveitar que a concessionária está “na sua mão” e pedir para ajustar tudo que for possível. O ajuste do farol é bem simples. Por um parafuso tipo philips que localizado dentro de um buraco, abaixo do painel. Girando para um lado, o feixe de luz sobe, e para o outro, ele desce. Ajuste ele para a condição máxima de carga (voce+garupa+bagagem). Assim, não vai deixar nenhum motorista puto por estar iluminando a lua com o seu farol baixo…

      Qualquer dúvida, pergunte.

      Abraço

      • Primeiro gostaria de agradecer sobre suas informações, quero citar a minha opinião com os primeiros 1500km da motoca. Sobre a média de consumo 33km/L ( meu peso 94kg e minha esposa 74kg )andando até 5 mil rotações andando 50% com garupa, achei ela até econômica.
        Achei a moto super macia, ótima posição de pilotagem, super gostosa de pilotar, apesar do pneu fino dianteiro( que na minha opinião melhora e muito nas curvas) achei ela com muita estabilidade, não acho que um pneu mais grosso melhore em nada, o banco é duro mas por incrível que pareça por ser largo me cansa menos que a minha antiga bros, não achei os freios borrachudos, pelo contrário achei muito preciso, sobre as marchas, no inicio eu achei realmente meio duro de passar mais depois dos 300km melhorou e já acho ela bem leve de passar( as vezes engancha), acho que se o óleo do motor fosse outro como o motul seria bem melhor( minha opinião), acho o óleo yamalube muito preso mais quem sou eu para duvidar da qualidade yamaha. O motor achei muito forte acho que pelo motivo que eu era acostumado a usar uma 150cc, no geral adorei a motoca, estava com duvidas na hora da compra entre ela e uma XRE 300 acabei comprando a T250 e fiz a escolha certa ( parei no sinal um cara com uma XRE ficou olhando e me perguntou sobre a moto, detalhe que o motor dele estava quase derramando óleo no motor), estava decepcionado me mostrou o vazamento..
        Estou muito feliz com ela, este blog foi me ajudou muito a fazer a minha escolha.

        • Fico feliz que meu texto tenha lhe ajudado a fazer uma boa escolha. Grande abraço!

          Sobre o pneu maior, muda sim, mas só quando se está acima de 100 km/h, e só mudando o dianteiro para 90/90. Mudar o traseiro é bobeira mesmo. Sobre o óleo, estou usando o Motul 5100 15W50, que acho muito bom. Sobre a diferença que sentiu da Bros para a Ténéré, é o torque dela. Bom né? =)

          Abraço

  113. gostari de saber se e normal o barulho de corente de comando da tener, 250cc, ano 2011, muito obrigado a todos.,

    • Corrente de comando????? Se for isso mesmo, e não a de transmissão final, que pode estar precisando de ser esticada, com a tensão correta e lubrificada, vá até uma boa oficina, e peça para checarem. A minha é 2010 e não faz esse barulho não.
      Abraço.

  114. Bem, mes que vem (agosto/2014) completo um ano com minha Tenerezinha e acredito que possa pontuar algumas coisas:

    Primeiramente é uma moto confortavel e relativamente econômica, pois isso depende diretamente do quanto de punho está disposto a girar. A minha faz em média 28 km/l, em circuito misto, sendo que eu peso 108kg.
    O desempenho dela é bastante honesto em se tratando de uma 250cc: não é pura potência como algumas da mesma faixa de cilindrada mas é o suficiente para se pegar uma estrada com velocidade de cruzeiro em até 120km, de forma que se consiga um bom compromisso entre estabilidade e conforto.

    É uma moto multiuso e por isso tem como característica o meio termo em suas configurações: não é muito dura e nem mole demais, não corre muito mas também não te coloca em situações embaraçosas, não é uma moto feia, mas tem seu ponto fraco no desenho da rabeta.

    Enfim é uma moto novamente honesta, onde provavelmente prevalecerá a racionalidade do projeto e dos custos.
    Posso recomendá-la sem sombra de dúvidas para qualquer tipo de usuário que ela não decepciona. Sei que não sanei a dúvida de ninguém mas caso queiram se aprofundar nessa moto em especifico eu recomendo procurar no tenere club.

    Grande abraço a todos.

  115. Olá , para Todos já tive varias motos, a minha última que comprei em 2014 e´essa Ténéré 250 . posso falar com usuário final. nunca tive um problema tanto na Estrada como na Cidade . Dia a Dia. eu só troquei o banco Erê . (que não custou barato rs) mais posso sentar com garupa. sair do Rj e chegar em Cabo Frio. inteiro. cerca de 200 km.

  116. Ola, gostaria de fazer modificações em minha tenere, colocar rodas de liga leve da fazer 250. Alguém pode me dizer se é possível e quais adaptações é preciso fazer?

  117. Boa tarde camarada.

    Olá motor do mundo, só uma pequena curiosidade. Porque não gostou da XRE 300?

    ABC.

    • Olá, resposta simples. A tecnologia aplicada no motor, que poderia ser melhor. E o design, que sim, é algo que depende muito do gosto pessoal, mas que me fez olhar com bons olhos para a rival Ténéré, que acredito ser mais sofisticada visualmente. O desempenho do motor e os freios da XRE são pontos positivos, mas não fizeram a balança ir para o lado dela.

  118. Minha pergunta é simples: Tenho uma GS 500 2008 e estou pensando em partir para uma Tenere 250, principalmente pelo fato de poder passar em buracos e não parar tanto em lombadas. Será que vou sentir muita diferença, por perda de potência? Outro ponto é minha altura: 1.85m, se bem que não acho a GS muito baixa nem desconfortável para mim mas espero me adaptar melhor à Teneré.

  119. Estava a procvura de uma moto que me atendesse bem nos dois tipos de pisos, no asfalto e na estrada de chão, a intenção era comprar uma XRE, mais quando vi a Teneré 250 ao vivo e a cores, foi amor a primeira vista… a moto por si só é linda, comecei a pesquisar entre XRE e Teneré, todos comentários e videos mostram um melhor desempenho da XRE, mais não desisiti na idéia de comprar minha Teneré 250, adoro fazer viagens de bate e volta, principalmente ir pra serra, cachueiras, acampar, e nessa maioria é estrada de chão, tenho umas Twister 2006 e não posso reclamar pois sempre me atendeu muito bem e nunca me deixou na mão, e com ela já se foram várias aventuras e viagens, mais como disse ela n me atende nas ocsiões que mais gosto, que me é me aventurar em uma estrada de chão, até arrisco, mais alguns tombos foram inevitáveis …kk. Depois de muitos anos de companheirismo, é dificil se desfazer, mais a Teneré 250 me conquistou, até começo do ano estarei com a minha.

  120. Olá pessoal,

    Muitos falam da traseira da teneré, Não me importo muito com visual, conto mas com tecnologia, conforto, e agilidade em uma moto, mas mesmo que me importasse não faria muita diferença.. vou usar baú mesmo… rsrrs… para guardar capacetes etc., eu particularmente não gosto de ficar passeando com capacete não mão. moto sem baú para mim será uma tragédia. rsrsrsr….

  121. Pelas pesquisas que fiz, descobri que a teneré 250 tem melhor desempenho nas estradas asfaltadas do que xre 300, pois ela tem mais aderência ao asfalto do que a xre, em compensação a xre leva mais vantagem em estradas de barro e absorve mais irregularidade do asfalto. Gostaria de saber a opinião dos demais.

    Abç.

    • Sim e não Amos…

      A XRE usa pneu mais “off” que a Ténéré. Isso faz com o pneu da XRE “ronque” no asfalto, mas não sei dizer se é menos aderente que o da Ténéré. Na terra, a XRE tem maior curso e melhor distribuição de peso (a frente da Ténéré é mais pesada), o que lhe confere maior desempenho neste terreno. No asfalto, apesar dos 3 cv a mais da XRE, as duas andam praticamente igual. É imperceptível a diferença.

  122. Bom dia motor do mundo,

    Segundo fontes que pesquisei a tenere 250 foi projetada para ter melhor desempenho no asfalto, Por isso ela tem um sistema de suspenção mais duro para se ajustara ao asfalto.
    Como pretendo comprar uma moto e vou usa-la maior parte do tempo em estrada asfaltada, essa é uma da vantagem que me leva a optar pela tenere.

    Abç!

    • Sim, está correto! A Lander é para um uso mais off (não que seja ruim no asfalto) e a Ténéré é para um uso mais on-road (não que seja ruim na terra).

  123. Por que apagou o post sobre a Bros? Esses melhoraram o sistema ou mudou de opinião? Gostaria q justificasse pois levo em consideração as informações que vc compartilha conosco e nesse exato momento estou em dúvidas entre a Bros e a fazer 150.

    • Olá Ruan, entre Bros e fazer 150, ou entre Bros e Crosser 150 (que é trail, igual a Bros)? Recomendo a Crosser COM FREIO A DISCO. Já vi gente com a versão sem disco na rua e não acredito que ainda comprem moto nova com freio a tambor…

      Sobre o post da Bros, o sistema segue o mesmo. Ocultei ele do blog, pois esse sintoma não é regra, e muitas vezes vem amarrado com um mal uso da moto, que gera como consequência também o problema na bomba. Ai o cara que fez cagada na moto pesquisa na internet e cai direto no meu blog, e acha que ele não fez nada errado, que a culpa é da moto mesmo. Não é bem assim, por isso, resolvi oculta-lo. Hoje, eu recomendo a Crosser, mas creio que em breve, a Honda mostra uma atualização da Bros… Afinal, tá na hora.

  124. Sou o feliz proprietário de uma Ténéré 250 há quase seis meses. É minha primeira moto, tenho 1,69 de altura e 66 kg. Após duas semanas de uso com extremo cuidado, me adaptei por completo à moto. Ela é perfeita para nossas estradas brasileiras (esburacadas). Além de ser ótima no trânsito, guidão e espelhos alto para passar em corredores, além de não precisar reduzir para passar em lombadas, na estrada de terra então …, é uma delícia. Além daquela típica lavada mensal, com escovinha, silicone no tanque e gracha e óleo nas corrente e cabos, após uso na terra é só vc chegar em casa, liga a mangueira, joga uma água nela, enxuga por cima e pronto. quando saio com a patroa, ela se sente a tal, pois a moto é alta e muito conformtável, além do que onde vc passa as pessoas pensam que é uma 600 cc. Faz em média de 27 km a 30 km por litro. ôoooo ‘600 cc’ mais econônica. Isso porque são apaixonado por motos estilo custom, mas por enquanto a t250 é a bola da vez. Conselho: se querem uma moto para trabalhar, pegar uma estradinha de terra sem ter dó da moto e fazer pequenas viagens: COMPREM!!!!!!!

  125. Olá pessoal,já faz algum tempo que não escrevo aqui ,minha tenere 250 já esta com 30.000 km e tenho que trocar o kit de relação, só não sei se a relação original durou bastante até 30.000 km é isso mesmo que ela dura? outra coisa estou querendo trocar as rodas originais por as de liga leve com pneus sem câmaras, pois por duas vezes fiquei na estrada e passei um sufoco para controlar a moto quando o pneu traseiro furou e esvaziou instantaneamente e por sorte não estava com minha esposa e ela sempre anda junto e por estar numa rodovia não tem borracharia perto tentei andar sobre o tanque mas não dá perdi a câmara de ar e varias horas do dia na segunda ves eu tinha comprado u spray de reparo de pneus, mas não funcionou o pneu até encheu mas não resolveu esvaziou na hora,hoje tenho medo de pegar estrada com a moto e furar o pneu, minha esposa nem quer mais viajar com a moto ,mas gosto muito da tenere 250 e minha esposa também ,gostaria de saber se algum amigo do blog sabe se tem rodas de liga leve para a tenere 250 e onde compro para colocar na motoca,agradeço ,aguardo,fiquem com DEUS.

  126. Marcelo,
    Foi a primeira vez que acessei seu blog,tenho que lhe dar os parabéns, gostei muito do conteúdo publicado.Sabe gosto muito de motos,não tenho o conhecimento técnico que vcs tem, porém o gosto por duas rodas coincidem.Em 2015 pretendo adquirir uma moto e estou muito interessado na tenere 250.Após ver seu blog fiquei ainda mais pilhado.Poderia por gentileza sanar uma dúvida? Quando andei a primeira vez na fazer, fiquei decepcionado pelo barulho que o motor produz( parece que tem areia dentro), entendo que é característico da mecânica utilizada. Esse barulho também faz parte da caracteristica da tenere 250?

    • Olá Robson, fico feliz que gostou. Só que, infelizmente não tenho conseguido tenho para atualizá-lo, pois estou trabalhando na revista Motociclismo (quando puder, compre uma e vai encontrar meus textos nela!). Sobre o ruído. Sim, tem também. Você se acostumará rápido, lembrando que o correto é utilizar protetor auricular enquanto pilota, para proteger sua audição de outro ruído, o do vento no capacete. Então, se usar, como eu uso, não vai nem perceber.

      Apesar dos pesares, ainda é a moto mais completa de baixa cilindrada do mercado. Dizem que vêm ai uma nova XRE, mas enquanto não sai. A Ténérézinha ainda é a que recomendo a amigos e inimigos.

      Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s